I Seminário de Integração Territorial da UEMASUL reúne lideranças, prefeitos e gestores da região tocantina

Criada para promover a educação superior e o desenvolvimento regional, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão recebeu do governador Flávio Dino a missão de planejar, articular e executar ações que visem a atuação da universidade nos 22 municípios de abrangência. Para tal, a instituição convocou prefeitos, vereadores e agentes públicos dos municípios da região para participar do “I SEMINÁRIO DE INTEGRAÇÃO TERRITORIAL UEMASUL-MUNICÍPIOS: Construindo as Diretrizes da Expansão Acadêmica”.

O evento, que aconteceu na última terça-feira (13), no auditório da UEMASUL em Imperatriz, teve grande adesão por parte dos municípios e contou com a presença do secretário de estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada e do deputado federal Deoclides Macedo. “A criação da UEMASUL mostra o compromisso do governo com a educação e com a região tocantina”, declarou o deputado Deoclides, que assumiu o compromisso de viabilizar recursos através de emendas para auxiliar na expansão da UEMASUL.

Ao secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, coube apresentar a Rede Ciência Maranhão aos representantes dos municípios presentes. O secretário destacou também a importância do evento para a atuação da universidade na região. “Este seminário mostra o perfil democrático da universidade e do governo. Ouvir e dialogar são fundamentais para planejar e executar ações de forma efetiva”, afirmou.

Os prefeitos de Itinga e Estreito, Lúcio Flávio e Cícero Neco, respectivamente, marcaram presença no evento e já demostraram que os municípios querem efetivar parcerias com a UEMASUL. Em Estreito, a prefeitura está construindo um prédio que será doado à universidade, assim como o terreno vizinho onde será implantado um IEMA. Já a prefeitura de Itinga disponibilizou o prédio onde funciona uma escola para que a universidade possa implantar um polo. “A realidade é que não poderemos ter um campus ou um polo em todos os 22 municípios, mas existem várias possibilidades de atuação e com este seminário estamos dando os primeiros passos para termos de forma mais clara e que podemos fazer”, declarou Elizabeth Nunes Fernandes, reitora da UEMASUL.

Com uma participação exemplar, o município de Amarante esteve presente com prefeita Joice Marinho, acompanhada dos vereadores Sargento Aguiar, Hélio da Saúde, Perinha, Azevedo e Professor Netinho (Presidente da Câmara), além do secretário de educação, Edilson da Silva Vieira, da presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Cleiva Silva e da coordenadora do IEMA, Geane Viana. “Os municípios responderam perguntas em nossa enquete, que vai nos dar uma visão mais ampla das necessidades e vocações de cada município. Nas próximas edições do Seminário poderemos ter propostas formatadas de atuação nos municípios”, acrescentou Expedito Barroso, vice-reitor da UEMASUL.

UEMASUL promove evento sobre educação de deficientes auditivos

A cada dia se faz mais necessário incluir e integrar pessoas com deficiências na sociedade, começando por entender cada grupo e proporcionar uma educação de qualidade para estas pessoas. No caso das pessoas com deficiência auditiva, existe, desde 2002, a Lei da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), que integra e regulamenta o ensino e difusão desta língua no Brasil. Pensando nisso, a professora de LIBRAS do curso de Letras, Aleilde Tavares Silva, organizou o I Simpósio Sobre Libras e Língua Portuguesa na educação de surdos, que aconteceu segunda-feira, 12, no auditório da UEMASUL.

“Estou muito feliz, pois a UEMASUL está de portas abertas para os surdos, sendo uma universidade realmente inclusiva”, afirma Aleilde, e ressalta a importância desta inclusão. “Na UEMASUL tem professores surdos, e cada vez mais vejo alunos que se interessam pela LIBRAS, fazem pesquisa sobre o assunto e são instigados a aprender”. Pontua ainda sobre a existência de uma proposta de implantação do curso de Letras-Libras, com vagas para surdos e ouvintes, que segundo a professora atenderá um público que busca esta graduação fora do estado.

O evento reuniu alunos dos mais diversos cursos da universidade, além de profissionais da educação, intérpretes e membros da comunidade surda. A professora Leila Lopes, responsável pelo setor de inclusão e atenção à diversidade da Secretaria de Educação, ressaltou a importância do evento como uma “discussão importantíssima e pertinente para a comunidade acadêmica”. Durante o simpósio, foram ofertadas oficinas sobre expressões não-visuais, classificadores e LIBRAS básica.

A mesa redonda abordou a temática do ensino de língua portuguesa para surdos, com a fala do prof. Esp. Hector Renan da Silveira Calixto, da Universidade federal do Rio de Janeiro, e do prof. Mestre Huber Kline Guedes Lobato, da Universidade Federal do Pará, que lançou o livro “Atendimento educacional especializado para alunos surdos” durante o evento. A professora da Escola Bilíngue para Surdos Prof. Telasco Pereira Filho, Solange Feitosa, destacou a importância do evento. “Esse tipo de discussão traz reflexões pertinentes sobre o ensino de língua portuguesa para surdos, e já apresenta o tema para futuros professores. Para quem já trabalha com esse público, proporciona um novo olhar, novas metodologias, além de nos fazer acreditar cada vez mais no potencial dos nossos alunos”, finaliza.

 

Isabel Babaçu ASCOM/UEMASUL

UEMASUL divulga prazos e orientações para a matrícula de calouros

A pró-reitoria de Gestão Acadêmica e Sustentabilidade, da Universidade Estadual da região tocantina do Maranhão (UEMASUL) tornou público o Edital nº 14/2017- PROGESA/UEMASUL/UEMA, que orienta alunos calouros da instituição sobre a matrícula para o segundo semestre deste ano.

De acordo com o edital, o período de matrícula será de 19 a 23 de junho para os calouros aprovados no PAES 2017 para o segundo semestre. No campus de Imperatriz os cursos de Engenharia Florestal, Pedagogia e Administração terão o ingresso de novos acadêmicos, que deverão efetuar sua matrícula na secretaria acadêmica. “Os calouros de Engenharia Florestal poderão fazer sua matricula no período matutino e vespertino, os de Pedagogia apenas no matutino, já os de Administração terão disponível o período noturno para se matricularem”, informou a pró-reitora Regina Célia.

No campus de Açailândia as matrículas para os cursos de Engenharia Civil, Gestão Ambiental, Letras e Administração deverão ser feitas exclusivamente das 14h às 21h, para todos os cursos. Sobre a matrícula dos veteranos, a pró-reitora Regina Célia adiantou que elas acontecerão após as matrículas dos calouros. “Segundo o calendário acadêmico, os veteranos deverão se matricular entre os dias 17 a 21 de Julho, mas até lá publicaremos um edital específico, com as orientações”, finalizou.

Para a matrícula dos calouros será exigido o certificado de Ensino Médio com Histórico Escolar (original e cópia) com visto da Inspeção Escolar ou carimbo de isento do Conselho Estadual de Educação, a cédula de Identidade (original e cópia), a certidão de Nascimento ou Casamento (original e cópia), o certificado de Reservista, ou de dispensa de incorporação, se do sexo masculino e maior de 18 anos (original e cópia) e certidão de Quitação Eleitoral, além de uma foto 3×4, recente, do CPF (original e cópia) e do comprovante de residência (original e cópia).

Os candidatos que tenham completado 18 anos, entre 1º de janeiro de 2017 a 23 de junho de 2017, estão dispensados da comprovação da quitação com o serviço militar. Ainda conforme o Edital, o início das aulas está previsto para o dia 14 de agosto.

O edital completo está disponível no site da UEMASUL, no endereço: www.uemasul.edu.br

UEMASUL sedia debate do Orçamento Participativo do Estado

O Governo do Maranhão está percorrendo 15 territórios do estado com o objetivo de debater com a população as prioridades das decisões orçamentárias para o ano de 2018.  Os encontros são chamados de Escutas Territoriais e mobilizam, em cada região, a participação dos cidadãos das cidades do entorno, constituindo prioridades de acordo com as características socioeconômicas regionais.

Nesta sexta-feira (9), Imperatriz receberá a visita das equipes da Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e da Secretaria de Estado do Planejamento e Orçamento (Seplan), responsáveis pela mobilização e realização das escutas territoriais do Orçamento Participativo (OP), no Maranhão.

De acordo com o secretário estadual de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves da Conceição, o Orçamento Participativo é uma política pública do Governo que estimula o desenvolvimento dos territórios a partir de outras matrizes e com a participação da população, onde por meio das Escutas, é possível criar um mapa estratégico das prioridades e encontrar as soluções para o desenvolvimento de todo o estado. “As escutas têm motivação política, pedagógica e solidária porque estimula a participação das pessoas, possibilitando conhecer instrumentos de gestão e o uso dos recursos e todas as decisões são por meio de votação, o que garante a democracia da gestão”, disse.

Na sexta-feira (9) escutas territoriais acontecerão simultaneamente nas cidades de Imperatriz, Viana e Itapecuru Mirim, das 7h30 às 15h, abrangendo a mobilização das demandas da região do Cerrado Amazônico, dos Campos e Lagos e do Vale Itapecuru. Em Imperatriz, a escuta será realizada no auditório da UEMASUL e envolverá a participação de cidadãos de 22 municípios

Escutas

As Escutas Territoriais do OP são abertas a qualquer pessoa interessada. Em cada escuta, os participantes têm a oportunidade de indicar ações, que serão colocadas para votação popular no site www.participa.ma.gov.br. Ao final, a proposta que for mais votada por território será encaminhada aos técnicos da Seplan, para posterior inclusão na Lei Orçamentária Anual de 2018. O status de todas as obras e ações pode ser consultado no site http://participa.ma.gov.br/orcamento-participativo, na aba “Ações do OP”.

Participação

O OP é uma forma de tornar participativo e democrático o orçamento público do Estado, elevando os níveis de controle popular e transparência sobre os recursos estatais. A política é coordenada pela Sedihpop, por meio da Secretaria Adjunta de Participação Popular (SAPP), em parceria com a Seplan.

ASCOM SEDIHPOP com colaboração ASCOM UEMASUL

UEMASUL promove seminário para debater expansão com prefeitos da região Tocantina

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão foi criada para promover a educação superior e o desenvolvimento regional em sua área de atuação, a região tocantina. São 22 municípios com grandes assimetrias sociais e com demandas com suas peculiaridades, mas que dividem uma forte identidade cultural e política. Neste sentido, a UEMASUL dá mais um passo importante dentro de sua missão institucional e convoca prefeitos, vereadores e agentes públicos dos municípios da região para participar do “I SEMINÁRIO DE INTEGRAÇÃO TERRITORIAL UEMASUL-MUNICÍPIOS: Construindo as Diretrizes da Expansão Acadêmica”.

O evento acontece no próximo dia 13 de junho, às 14h no auditório da UEMASUL em Imperatriz, e tem por objetivo iniciar a articulação e integração destes municípios visando a efetiva atuação e expansão da universidade. “Muitos prefeitos já estão em permanente diálogo com a UEMASUL, apresentando demandas, buscando parcerias e se colocando a disposição para o fortalecimento de nossa instituição, provando que a descentralização do ensino superior era não só necessária, quanto urgente”, declarou o vice-reitor da UEMASUL, Expedito Barroso, que no evento  apresentará a estrutura organizacional da instituição e sua atuação territorial.

Outra importante pauta do Seminário é a formação da Rede Ciência Maranhão, uma Iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), que visa integrar instituições e iniciativas ligadas a Ciência, Tecnologia e Inovação do estado. A rede será formada pelas Secretarias Municipais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação, ou afins, e as instituições de ensino e da área científica e tecnológicas existentes no Maranhão. Para apresentar a rede estará presente no seminário o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada.

O evento será encerrado com a apresentação dos cursos promotores de capacitação e formação docente  de Ciências Naturais, feita pela professora Dra. Iane Paula Rego Cunha Dias, Coordenadora de Sustentabilidade e Integração Social. “Além de apresentar estas pautas, nós queremos também ouvir dos gestores as suas demandas e anseios. Ao final do seminário, iremos elaborar um documento que servirá de base para os outros seminários e que norteará futuramente a criação de novos cursos, polos e até mesmo outros campi”, declarou Elizabeth Nunes Fernandes, reitora da UEMASUL.

Reitoria cumpre agenda no campus de Açailândia

Os conceitos de autonomia, descentralização e democratização são os eixos norteadores na implantação e na gestão da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. Nestes primeiros 150 dias de criação, vários avanços já foram conquistados, mas muitos outros desafios ainda precisam ser superados, e dentre eles está o isolamento do antigo CESA-UEMA, hoje Campus de Açailândia da UEMASUL.

Criado em 2012 a partir da doação do atual prédio pela empresa Vale, o campus sedia o Centro de Ciências Humanas, Sociais, Tecnológicas e Letras (CCHSTL) que conta com 4 cursos de graduação presenciais e atende a cerca de 500 alunos da cidade e região. E apesar da sua importância estratégica, o campus acumula problemas históricos que agora estão sendo resolvidos e contornados pela reitora. “Funcionaremos com uma reitoria itinerante, aproximando o campus e acompanhando de perto as demandas do campus. Estaremos periodicamente ouvindo, acompanhando e intervindo”, afirmou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes que esteve na última quinta-feira com parte da administração superior despachando em Açailândia.

Dentre as pautas tratadas durante a agenda estava a readequação, reforma e ampliação do prédio, a normatização da comunicação administrativa, a abertura de licitação para aquisição de materiais de consumo e equipamentos, recadastramento de servidores, além do atendimento a questões pendentes relacionadas a matrículas e disciplinas ofertadas. Nas redes sociais da UEMASUL diversos estudantes de Açailândia manifestaram a expectativa por investimentos no campus. “Já estamos fazendo um estudo para a criação de um auditório, uma das grandes reivindicações dos alunos”, afirmou a reitora.

O diretor do CCHSL, professor Christiano Aguiar, destaca a importância da reitoria se fazer presente no campus, integrando os campi e dando mais agilidade para questão que dependem da ação da reitoria. “É sempre muito positivo quando a reitora e o corpo da administração superior cumpre agenda aqui. É uma forma de gestão mais democrática e eficiente. Os alunos e toda a comunidade acadêmica se sentem mais valorizados e participes no processo de consolidação da nossa universidade”, afirmou o diretor.

UEMASUL – Governador entrega etapa principal da reforma, assina ordem de serviço para novo campus e anuncia Restaurante Universitário

A Universidade Estadual da Região Tocantina (UEMASUL) é a concretização de um sonho e de uma luta que atravessou toda uma geração. Entretanto, a criação de uma nova universidade não acontece do dia para a noite, com a força de uma caneta ou de um decreto. Para que a UEMASUL seja realmente implantada e consolidada o Governo do Estado tem se mantido presente e feito vários investimentos na instituição.

No último sábado (20), o governador Flávio Dino esteve em Imperatriz para entregar a etapa principal das obras de reforma e ampliação do campus da UEMASUL e assinar ordem de serviço para a construção de novo campus para os universitários imperatrizenses. Durante a solenidade, governador atendeu prontamente a demanda dos estudantes, representados pelo Diretório Central dos Estudantes, que reivindicava a construção de um Restaurante Universitário. “Segunda-feira a reitora Elizabeth já pode procurar um espaço para instalar o R.U. Essa é uma reivindicação legítima e iremos atendê-la”, declarou o Governador.

Flávio Dino destacou também o papel estratégico da UEMASUL no desenvolvimento humano e social da Região Tocantina e que a autonomia administrativa e na gestão de recursos marca uma nova fase na história do ensino superior do Maranhão. “Demos mais um passo para realizar um sonho de décadas. Estive aqui sancionando a lei que criou a universidade e os resultados desses passos já estão sendo percebidos, por se ampliaram os investimentos a partir dessa autonomia. Nós temos agora a entrega desse prédio totalmente reformulado, vamos lançar o novo prédio e estamos com o planejamento da reitora com os cursos que serão lançados em 2018 a partir de um debate acadêmico e com a sociedade local”, afirmou o governador.

Uma das primeiras iniciativas após a criação da Universidade, as obras, que tiveram investimentos de R$ 3,1 milhões, incluíram reforma de 32 salas de aula, cinco laboratórios, salas do setor administrativo e da sede do Diretório Central dos Estudantes. O recurso foi aplicado também na construção de novas estruturas como a área de vivência com cantina e espaço para reprografia, além de um novo laboratório de informática. A reforma contou ainda com reparos na parte elétrica, hidráulica, telhado, piso, fachada e guarita e jardins.

A reitora da UEMASUL, Drª Elizabeth Nunes Fernandes costuma finalizar suas falas com um sonoro “Avante UEMASUL!”, o que de fato está acontecendo. No espaço de 140 dias, a instituição avançou em todos os aspectos. Além de toda a transformação no campus, o número de bolsas para iniciação científica, extensão e bolsas permanência tiveram um aumento substancial e a instituição já é uma das referências no apoio e desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação da região. “E por determinação do governador, avançaremos mais! Em 2018 já estaremos com um novo campus em Imperatriz e outro no Estreito, sem contar com o Restaurante Universitário que entrará em funcionamento dentro de alguns meses.

Com a ordem de serviço para a construção de um novo prédio assinada, as obras do campus que será localizado no Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva começam esta semana. O campus de Estreito, que será doado pela prefeitura do município, já está com mais de 60% da obra concluída. “Vamos agora reformular o campus de Açailândia, de modo que a autonomia só traz bons resultados para os alunos, os professores, vai abrir mais oportunidades de vagas e melhora a infraestrutura para que se tenha um ensino de mais qualidade”, acrescentou o governador.

Parcerias e Avanços

Egresso do antigo CESI/UEMA, o secretário de Infraestrutura Clayton Noleto foi de fundamental importância para as conquistas da UEMASUL. Além de gerir a reforma e readequação através da SINFRA, Clayton fazia questão de estar constantemente na obra, fiscalizando de perto os trabalhos. “Ingressei na universidade em 1995 e já havia essa dupla vontade de da emancipação e autonomia, que foi concedida com muita coragem pelo governador Flávio Dino, pela crença que ele tem em defesa da região Tocantina. E hoje com a entrega desse prédio com novas instalações, totalmente reformado e com a ordem de serviço para a construção de um novo prédio são avanços muito significativos”.

Outro órgão fundamental para o processo de implantação e consolidação da UEMASUL foi a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação. Além de fazer a doação de livros, computadores e laboratórios completos, a determinação do secretário Jhonatan Almada foi que todos os editais da secretaria e da FAPEMA também fossem lançados na UEMASUL. Através de sua redes sociais Jhonatan anunciou a doação de um laboratório de informática que já está montado e disponível para a comunidade acadêmica. “Comemorando a inauguração da reforma do campus-sede da UEMASUL entregamos laboratório de informática completo”, anunciou o secretário em sua conta do Twitter.

“É um grande momento, histórico para a educação na Região Tocantina. Estamos aqui, a comunidade discente e docente, para construirmos juntos uma universidade em um processo em que todos nós devemos participar, devemos estar atuantes. Vamos à luta para construir a universidade que todos nós queremos, uma universidade de todos nós”, enfatizou o aluno Julio Cesar da Conceição.