UEMASUL realiza II Congresso de Bolsa Permanência Estudantil

Com a proposta de apresentar os resultados dos bolsistas que participam do programa de Bolsa Permanência Estudantil e promover a discussão acerca da política nacional de Assistência Estudantil, II Congresso de Bolsa Permanência Estudantil é realizado a cada seis meses na Universidade Estadual da Região Tocantina (UEMASUL)  com uma programação recheada de apresentações.

Realizado com um novo formato, o evento incluiu nesta edição atividades que visam proporcionar diálogo e debate entre bolsistas e comunidade acadêmica por meio de grupos de discussão e de grupos de trabalho, além da apresentação de pôsteres com a perspectiva de relatar as experiências dos bolsistas e suas competências desenvolvidas ao longo do programa.

Na abertura do evento o Prof. Cesar Alessandro Sagrillo Figueiredo, da Universidade Federal do Tocantins (UFT), apresentou a conferência “Permanência Estudantil como direito: o futuro da Assistência Estudantil nas universidades brasileiras”, que pautou o atual momento de contingenciamento e corte de investimentos públicos no ensino superior.

A UEMASUL possui atualmente 89 bolsistas atuando no âmbito administrativo, cultural e extensão. De acordo com o chefe da Divisão de Acesso e Permanência Estudantil (DAPE), Edelblan Conrado da Silva Rocha, cada bolsista possui um plano de trabalho diferenciado e é acompanhado por um tutor e um supervisor. “O programa de Bolsa Permanência além de promover a assistência ao estudante,  também se constitui como programa de educação tutorial, onde o tutor e o supervisor acompanham de perto a execução do plano de trabalho e fazem um exercício de orientação, supervisão e de acompanhamento do desenvolvimento das competências e habilidades desses bolsistas”, diz Edelblan.

A UEMASUL tem investido e ampliado o número de bolsas para que os acadêmicos do programa assistencial tenham acesso à pesquisa, extensão. Para a acadêmica do segundo período de Geografia, Helen Giovanna Pereira Fernandes, o auxílio financeiro proporcionado pelo programa aos bolsistas em vulnerabilidade socioeconômica, é o que ampara ela e outros estudantes a continuarem na graduação. “Nós só estamos aqui na Universidade rumo a nossa graduação graças a esse programa, sem ele não teríamos muita perspectiva de continuidade. Com as atividades que acabo exercendo, ele me auxilia muito na minha graduação, porque realizo atividades no laboratório de Cartografia. Então são conhecimentos adquiridos para o decorrer da minha graduação inteira e também é um desenvolvimento profissional, que já está me preparando para o mercado de trabalho”, conta a acadêmica.

“Como eu moro em outro município, dificultava o meu acesso até a Universidade e através do bolsa permanência eu encontrei uma forma para poder me locomover até a faculdade e ele tem sido muito importante para mim porque através dele eu tenho adquirido experiências administrativas, porque o bolsa  a gente tem que cumprir uma carga horária de 12 horas semanais em algum setor da Universidade e eu tenho que oferecer um serviço, auxiliar nas demandas”, afirmou Cristiana Marques, acadêmica do curso de Letras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *