Trabalho acadêmico da UEMASUL é premiado na SBPC

Participando pela primeira vez da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a UEMASUL teve participação marcante, levando uma delegação com 26 participantes, entre professores e alunos, somando 16 trabalhos apresentados. 

O professor do Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas (CCENT), Zilmar Timóteo Soares, foi convidado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para apresentar o trabalho “Análise in vitro dos efeitos farmacogenômico do astrocaryum vulgare em células neurotransmissoras da aprendizagem”, por ser um modelo de pesquisa e extensão voltado para alunos que têm déficit de aprendizagem. “A gente utiliza o extrato do tucum em forma de alimento, para que esses alunos possam utilizar e melhorar a conexão das células neurotransmissoras. Ele é rico em vitamina A, antioxidantes, vitaminas B1, B2, B3, que é rica em acetilcolina que a gente utiliza na pesquisa”, explicou o professor.

O trabalho vem sendo realizado desde 2016 e já foi apresentado em diversos eventos nacionais de ciência e de iniciação científica. “Para nossa surpresa, nós ficamos em primeiro lugar na categoria Ciências da Saúde, na Mostra Nacional das Feiras de Ciências, onde tínhamos diferentes trabalhos de todos os estados brasileiros sendo apresentados”. 

O professor Zilmar Timóteo recebeu os prêmios de Professor Destaque da Federação e Menção Honrosa pela Fundação Liberato e FETEC-MS. “É um trabalho que nós vamos continuar desenvolvendo no laboratório de Saúde e Biologia geral da UEMASUL, e a gente pretende melhorar. Por enquanto, não estamos fazendo testes in vivo, mas o nosso propósito é melhorar com a aprovação no Comitê de Ética para que possamos ter essa oportunidade. Foi uma participação brilhante, representamos bem o estado do Maranhão e a UEMASUL. Para nós foi um privilégio termos sido escolhidos”, finalizou.

O MCTIC assumiu todas as despesas de passagens aéreas e hospedagem para o professor orientador, e para o estudante de Ciências Biológicas, Brunno Gustavo, como representante discente e orientando. “A premiação para a pesquisa é de extrema importância, porque todo trabalho que nós tivemos de pesquisa, de ir atrás da literatura e fazer as análises físico-químicas no fruto, colher o fruto, tudo isso mostra que nosso esforço valeu a pena. É muito bom porque mostra que a nossa universidade desenvolve atividades científicas e mostra que, embora nós sejamos uma universidade nova, já estamos fazendo grandes avanços em nossos laboratórios”, afirmou Brunno.

A 71ª edição do maior evento científico da América Latina aconteceu entre os dias 21 a 27 de julho, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS, em Campo Grande-MS, e os números impressionam: foram sete dias de evento, 180 conferências, mesas-redondas, encontros e palestras, mais de 40 atrações culturais, 600 pôsteres e um público que ultrapassou 30 mil pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *