UEMASUL realiza colação de grau de 96 alunos em Imperatriz

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) realizou, na noite de quinta-feira (28), Solenidade de Outorga de Grau 2018-2. Foram 96 novos profissionais oriundos de 13 cursos da universidade, formados e qualificados para promover o desenvolvimento humano e social do nosso estado. 

Realizada na Primeira Igreja Batista de Imperatriz, a solenidade contemplou 12 cursos do campus Imperatriz:  Administração; Ciências Biológicas; Ciências com Habilitação em Matemática; Engenharia Agronômica; Engenharia Florestal; Física; Geografia; História; Letras, Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Literaturas; Letras, Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa; Medicina Veterinária; Pedagogia; e Tecnologia de Gestão Ambiental, campus Açailândia. 

A solenidade foi marcada pela alegria e emoção dos formandos, seus familiares e de toda a comunidade acadêmica. Em seu pronunciamento, a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, reforçou o compromisso da universidade na formação não só de profissionais, mas, também cidadãos e cidadãs conscientes de sua função social, destacando a emoção de conduzir a cerimônia. “É lindo quando nós vemos a emoção dos pais, como é lindo de ver! É uma imagem que realmente eu gostaria de compartilhar com todos, ver a mãe que vibra, os familiares e amigos reunidos para celebrar esta vitória, e que talvez sejam ou representem o primeiro formando da família na universidade pública”, afirmou a reitora.  

A acadêmica Bárbara Pereira Duarte, formanda do curso de Letras, foi escolhida pelos seus colegas como oradora oficial dos concludentes. Em seu discurso, declarou. “Precisamos e vamos nos orgulhar de nós, de tudo que vivenciamos no entorno dos muros dessa Universidade, pelos dias em que unidos em ativismo, lutamos pela aprovação da UEMASUL, de cada dia nas paradas de ônibus, de cada sol e chuva, de cada um dos professores que nos inspirou a sermos melhores”.  

Inclusão 

Esta foi a primeira cerimônia de outorga de grau da UEMASUL com tradução em Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. “Apesar de não termos estudantes deficientes auditivos ou surdos, entendemos que esse é um protocolo que temos que implementar em todos os eventos oficiais de nossas instituição”, afirmou o vice-reitor da UEMASUL, Expedito Barroso.

Conselho Estadual de Educação aprova Programa de Formação de Docentes da UEMASUL

O Conselho Estadual de Educação aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (26), a autorização de funcionamento do Programa de Formação de Docentes da UEMASUL, Caminhos do Sertão. Elaborado ainda no início de 2018, o programa é mais um passo dado pela UEMASUL na missão de promover o desenvolvimento regional e atender às metas 12 e 15 do Plano Estadual de Educação do Estado do Maranhão (PEE-MA).

O programa visa expandir vagas em cursos de licenciatura, por meio da implantação de cinco unidades avançadas nas cidades de Vila Nova dos Martírios, Itinga do Maranhão, Amarante e Porto Franco, atendendo aos 22 municípios de sua ação territorial, o que causará impacto importante na democratização do acesso ao ensino superior público, ofertando 800 novas vagas.

“Os próximos passos agora serão aprovar os PPCs (Programas Pedagógicos) dos cursos que serão oferecidos, assinar o acordo de cooperação com os prefeitos desses municípios onde funcionarão as unidades avançadas, e então faremos o cronograma do seletivo para professores e alunos. A previsão é que iniciemos as aulas em agosto deste ano, já com os alunos”, afirma a Profa. Nice Rejane Oliveira, coordenadora do programa.

Funcionamento

A oferta das disciplinas ocorrerá na modalidade especial, aos sábados e domingos. São quatorze aulas de cinquenta minutos de efetivo trabalho docente e quatro horas de atividades orientadas, totalizando 18 horas-aula por encontro. Serão necessários quatro encontros em finais de semana para disciplinas de 60 horas. Para o cumprimento do total de horas-aula por semestre haverá a necessidade de ofertar até duas disciplinas no período de férias (janeiro e julho), na modalidade intensiva.

Serão ofertados os cursos de licenciatura em Pedagogia, Letras, Matemática, Ciências Biológicas, História, Física, Geografia e Química, todos com quatro anos de duração.

Parceria

O Programa de Formação de Docentes da UEMASUL vai funcionar em parceria com as prefeituras municipais de sua área de abrangência, dando oportunidades de acesso ao ensino superior aos professores em exercício nas escolas públicas estaduais e municipais sem formação adequada à LDB, impulsionando a formação de professores reflexivos e atuantes na sociedade.

Segundo Expedito Barroso, Vice-Reitor da UEMASUL, o corpo docente será composto preferencialmente, por professores da UEMASUL, que atuam nos cursos de licenciatura na modalidade regular. Mas também será aberto processo seletivo para a contratação de professores. “O termo de cooperação com os municípios vai garantir a disponibilização de infraestrutura, serviços administrativos e do desenvolvimento pedagógico do Programa”, completou.

Para a Pró-Reitora de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica da UEMASUL, Regina Célia Costa Lima o programa é desafiador. “No momento em que se cria uma universidade nova, que vem o objetivo de desenvolvimento regional as expectativas aumentam, principalmente na área de atuação. Recebemos ainda no momento Pro tempore visitas de prefeitos, representantes comunitários, indígenas, solicitando da gente e do Governo do Estado a presença de nossa universidade”.

Lei nº 10.099/2014 – Plano Estadual de Educação do Estado do Maranhão

Meta 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população de 18 (dezoito) a 24 (vinte e quatro) anos, assegurada a qualidade da oferta e expansão para, pelo menos, 40% (quarenta por cento) das novas matrículas, no segmento público;

Meta 15: garantir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, no prazo de 1 (um) ano de vigência deste PNE, política nacional de formação dos profissionais da educação de que tratam os incisos I, II e III do caput do art. 61 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, assegurado que todos os professores e as professoras da educação básica possuam formação específica de nível superior, obtida em curso de licenciatura na área de conhecimento em que atuam.

Câmara de Vereadores de Estreito aprova doação de prédio à UEMASUL

A história da implantação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão na cidade de Estreito é feita de alguns capítulos. Das primeiras reuniões do prefeito Cícero Neco com o Deputado Marco Aurélio e com o governador Flávio Dino, passando pela audiência pública realiza ainda em 2017, já com a presença da gestão superior da UEMASUL, muitos foram os momentos de articulação, planejamento e debates, até a conclusão de mais um importante capítulo.

Construído com recursos próprios, somando o montante de aproximadamente  6 milhões de reais, o prédio seria destinado à criação de uma Faculdade Municipal. Porém, muitos foram os entraves para a realização do sonho do ensino superior público e gratuito na cidade nesses moldes. O prefeito buscou parcerias com outras universidades, mas, sem sucesso. “Recebi o telefonema do governador pedindo para avaliar a expansão da UEMASUL em médio prazo para um novo campus em Estreito, levando em consideração a possibilidade de receber um prédio já construído”, contou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes. “Após uma série de estudos e de conhecer a estrutura em questão, chegamos à conclusão que era viável, mediante a doação do prédio, a implantação de um novo campus da UEMASUL na cidade”, completou a reitora

Na manhã desta segunda-feira (25), em sessão ordinária na Câmara Municipal de Estreito, foi votado e aprovado o Projeto de Lei que autoriza a doação para a UEMASUL do prédio onde funcionará o campus de Estreito. “Esta é a obra mais importante da história de nossa cidade. O asfalto, com o tempo se desfaz, mas, os impactos da educação na vida das pessoas passa de geração para geração”, afirmou o vereador Prof. Helder Cirqueira durante a sessão. Antes de ir a votação, o projeto passou pela Comissão de Constituição e Justiça e foi debatido por todos os vereadores.

Após sessão, a Reitora Elizabeth Nunes Fernandes e comitiva de professores da UEMASUL, acompanhados de vereadores do município e alunos do colégio Prof. João Pereira Martins Neto, visitaram as obras do novo campus, que se encontra atualmente em fase final de acabamento e deverá ser entregue oficialmente no dia 10 de maio. Impressionada com a magnitude da obra, a aluna Maria Eduarda da Silva revelou que o seu interesse em ingressar em um dos cursos que serão oferecidos pela UEMASUL aumentou. “Olhar esse prédio todo novo, bonito e bem estruturado aumenta a nossa vontade de estudar aqui. Eu já tinha interesse pelo curso de Engenharia Agronômica, agora tenho certeza que é ele que vou escolher no vestibular”, declarou a estudante.

UEMASUL abre as inscrições para o Programa Bolsa Permanência

A Assistência Estudantil é uma bandeira histórica do movimento estudantil e de outros movimentos da educação, e tem como objetivo democratizar o acesso e a permanência no ensino superior. Nesse contexto, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão criou em 2017 o Programa Bolsa Permanência, com o intuito de fornecer um auxílio financeiro para alunos da UEMASUL que são classificados em estado de vulnerabilidade socioeconômica e que residam em outro município ou na zona rural do município onde faz o curso de graduação .

As inscrições acontecem entre os dias 25 de março e 10 de abril de 2019. Serão ofertadas 70 Bolsas Permanência, sendo 60 universais (não cotista), e 10 para indígenas e quilombolas. No campus Imperatriz, as inscrições podem ser feitas na Pró-Reitoria de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica (PROGESA), e no campus Açailândia, na Secretaria Acadêmica.

Hellen Giovanna Pereira, estudante de Geografia, indígena e bolsista há mais de um ano, conta que sem o auxílio, sua continuidade na universidade estaria comprometida. “Sou dependente 100% da bolsa para que eu possa dar continuidade ao meu curso. Com ela pago todas as minhas despesas incluindo aluguel e alimentação, e, ao saber que a UEMASUL possuía esse programa, fiz o vestibular pois vi que com esse auxilio eu conseguiria morar em outra cidade pra estudar”.

“A partir da bolsa eu consigo pagar aluguel aqui na cidade, e melhorou minha alimentação, meu transporte. A bolsa não traz só auxílio financeiro, mas a atividade que você faz na instituição, essa mescla de setores é um ganho grande porque a gente pode ter um conhecimento maior de como funciona a universidade”. Reitera Mário Silva de Lucena, estudante de Engenharia Civil em Açailândia.

“Antes eu morava em Governador Edison Lobão, tinha que me deslocar todo dia e precisava trabalhar no período em que não estava estudando, o que me atrapalhava. Fiquei sabendo do programa de bolsas pela minha tutora, pois eu não tinha um bom desempenho acadêmico por muitos fatores, como a distancia entre a minha casa e a universidade, e a questão financeira. Ter participado do programa contribuiu para que eu pudesse estar aqui todos os dias, participar do movimento estudantil, e melhorou muito minha produtividade acadêmica.” conta Bruna de Sousa Lima, estudante do 5º período de Licenciatura em Ciências Biológicas.

“A bolsa, para mim, é um incentivo para continuar estudando. Não é fácil você sair da sua casa, de perto dos seus pais, para estudar fora e passar tanto tempo sem estar junto deles. A questão financeira também implica muito, e a bolsa facilita que eu possa estar aqui”, afirma Sara Steffany Claudino Leite, natural de Lago do Junco, que veio para Imperatriz cursar Engenharia Agronômica.

A Bolsa Permanência tem duração de seis meses, podendo ser renovado sucessivamente. Para se inscrever, é necessário apresentar os formulários preenchidos, cópia do RG e do CPF, histórico escolar do ensino médio, comprovando que cursou em escola pública ou em regime de bolsa na rede privada, conta de energia elétrica com tarifa social e consumo de até 120kw dos últimos três meses, comprovante de matrícula em curso da UEMASUL e comprovante de renda familiar mensal.

Raquel Milhomem, natural de Porto Franco, faz parte do Programa de Bolsa Permanência desde 2018. Ela cursa o 3º período de Engenharia Agronômica e fala sobre o processo seletivo. “É um processo simples, se você se encaixa nos requisitos necessários. Quando consegui a bolsa, boa parte das minhas preocupações foram embora, pois estava sendo difícil me manter aqui em Imperatriz. Vou me inscrever no seletivo novamente, sair do programa seria muito ruim, já que ele me possibilita fazer minhas atividades de estudante.”

Para mais informações, confira o edital completo no link:

 

UEMASUL aprova a criação do curso de Medicina e mais quatro cursos

Durante todo o dia 15, o Conselho Universitário da UEMASUL esteve reunido no campus Açailândia, realizando a 10ª Reunião Ordinária. Dentre as pautas, estavam as criações e autorizações de funcionamento de 6 cursos, para os campi Açailândia, Estreito e Imperatriz, consolidando a expansão da universidade e criando 240 novas vagas na graduação.

Para Imperatriz, os conselheiros discutiram e votaram a criação, autorização de funcionamento e aprovação do Projeto Pedagógico do Curso de Medicina, que será ofertado a partir de 2020 no novo Centro de Ciências da Saúde da UEMASUL, com 80 vagas para o primeiro ano. O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) é o documento que reúne todas as diretrizes de funcionamento do curso, como tempo de duração, disciplinas a serem cursadas e as respectivas ementas, estágios e trabalho de conclusão de curso, além de traçar o perfil do egresso que a graduação deseja alcançar.

A criação do curso de Medicina representa o fortalecimento das políticas públicas de saúde e educação da Região Tocantina. A implantação do centro e do curso contempla a meta 14 do plano de governo proposto pelo governador Flávio Dino, que abrange a melhoria da saúde e o aumento do número de médicos do estado, e fortalece o protagonismo regional e a expansão da UEMASUL.

A reitora da universidade, Elizabeth Nunes Fernandes, afirma a importância deste momento. “Já tivemos muitas reuniões importantes, mas esta é a que consolida a expansão da UEMASUL, com a criação dos cursos para o campus Estreito, e o curso de Medicina em Imperatriz, que irá atender a demanda da região, formar médicos para atuar na saúde do estado, na prevenção, na atenção básica e melhorar os índices do Maranhão.”

Ainda para Imperatriz, em substituição ao curso de Letras, Língua Inglesa e Literaturas, foi criado o curso de Licenciatura em Língua Inglesa, priorizando a formação de professores de língua inglesa, com disciplinas voltadas para o ensino de língua estrangeira, conversação, tradução e fluência. Além dos novos, o curso de Geografia teve suas autorizações renovadas.

Centro de Ciências Agrárias Naturais e Letras (CCANL) – Estreito

O campus Estreito tem previsão de entrega para maio, e três dos quatro cursos que serão disponibilizados inicialmente também foram criados e aprovados durante a reunião do CONSUN. As Licenciaturas em Ciências Naturais – Habilitação em Matemática e Habilitação em Física; e Letras, Língua Portuguesa e Literaturas tiveram os PPCs apresentados e aprovados por unanimidade. Cada um dos cursos oferecerá 40 vagas para o primeiro ano, totalizando assim 120 novos alunos.

Centro de Ciências Humanas, Sociais, Tecnológicas e Letras  (CCHSTL) – Açailândia

O campus Açailândia, que já existe há 17 anos, terá a primeira turma de Pedagogia em 2020, com 40 novas vagas. De acordo com os dados apresentados no PPC, há uma carência de pedagogos atuando na educação, e por isso, o curso será estratégico para a melhoria dos índices da educação básica da cidade e municípios vizinhos, que também fazem parte da área de abrangência da UEMASUL.

UEMASUL promove a inclusão dos primeiros acadêmicos com deficiência

O ensino público e de qualidade deve ser destinado a todos de acordo com o princípio constitucional da educação nacional. A lei de cotas, criada em 2012, é destinada à pretos, pardos e indígenas, alunos de escola pública e também a pessoas com deficiência. A UEMASUL recebe este ano, pela primeira vez, alunos com deficiência. Para atendê-los, a universidade está em processo de adaptação, com a aquisição de equipamentos, materiais, mobiliário adaptado e também contratação de profissionais para acompanhá-los.

Campus Imperatriz

Dentre os ingressantes, está Rafael dos Santos Silva, de 21 anos, que está cursando Licenciatura em História. Ele concluiu o ensino médio em 2018, no colégio Estadual Governador Archer. Rafael tem baixa visão, e, é um dos dois alunos com deficiência visual.

Durante a entrevista, Rafael falou sobre a necessidade do ledor, que já está sendo providenciado pela universidade e também mostrou as ferramentas de acessibilidade que utiliza no celular. “É a realização de um sonho”, conta Rafael. “Quando recebi a notícia, fiquei muito feliz. Sorte que não tenho nenhum problema cardíaco, pois fiquei muito surpreso de ter passado”.

A mãe, Ana Lúcia, reforça o quanto o filho é dedicado e busca conhecer de tudo que possa auxiliá-lo nos estudos. “O Rafael é muito esforçado e tem força de vontade. Até porque é difícil estudar com as limitações que ele tem”. O processo de preparação para o vestibular foi na sala de aula e na sala de recursos oferecida pelo colégio. “Ele também fez o ENEM!”, comenta a mãe.

Valdeci Cabral, de 31 anos é outro acadêmico que tem baixa visão. Convidado a discursar na cerimônia de abertura do ano letivo, emocionou a todos com seu relato. Ele está cursando Licenciatura em Letras Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa.

Campus Açailândia

No campus Açailândia, o curso tecnólogo em Gestão Ambiental recebeu uma aluna cadeirante. Heloísa Oliveira, de 18 anos, tem atrofia muscular espinhal, uma doença degenerativa que retira a força dos músculos e ainda não tem cura. Ela utiliza uma cadeira de rodas e possui várias restrições, porém, se mostra confiante para a jornada universitária. “Eu espero alcançar as minhas próprias expectativas, me desenvolver bem no curso, crescer enquanto aluna e fazer amigos. Estava ansiosa para o primeiro dia, mas fui bem recebida, já conhecia alguns colegas e me senti acolhida.”

Acessibilidade

A Pró-Reitora de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica em exercício, Maria da Guia Taveiro falou sobre o processo de adaptação da universidade. “Nós estamos muito felizes e nos adaptando para receber estes alunos e muitos outros, com quaisquer deficiências. Iremos estruturar um núcleo, pois já temos professores de LIBRAS e, em breve abriremos seletivo para professores ledores, que acompanharão os alunos nas atividades cotidianas, e a partir disso já poderemos criar uma estrutura melhor. Temos tido bastante apoio, das secretarias do governo, do Colégio Governador Archer, e do Setor de Inclusão à Diversidade (SIADI) da prefeitura municipal, que se ofereceram para dar suporte nesse processo.”

A UEMASUL já conta com rampas de acesso, corrimões e banheiros adaptados para cadeirantes, além de oferecer a disciplina de LIBRAS na grade curricular dos cursos de licenciatura. Neste momento, dois alunos têm deficiência visual, e para isso, serão selecionados professores ledores para acompanhá-los em aulas, avaliação e demais atividades, máquinas para impressão dos textos, leitores de tela para os computadores da biblioteca central e do laboratório de informática, além de implantar ferramentas de acessibilidade no site institucional.

Governo do Estado destina área de 65 mil m²para UEMASUL

Os secretários de Estado de Infraestrutura Clayton Noleto e de Saúde Carlos Lula, acompanhados da Reitora Elizabeth Nunes Fernandes vistoriaram a área destinada às construções do hospital público Socorrão e do Centro de Ciências da Saúde da UEMASUL.

O governador Flávio Dino assinou no último dia 06, o Decreto que desapropria as áreas destinadas às construções. A desapropriação é o ato pelo qual o Poder Público, em razão de uma necessidade ou utilidade pública, ou ainda diante do interesse social, mediante indenização, retira alguém de sua propriedade.

O Centro de Ciências da Saúde vai abrigar de início o curso de Medicina da UEMASUL, que contará futuramente com os cursos de Farmácia e Saúde Coletiva. Além de todos os avanços alcançados pela universidade nos últimos anos, a implantação do curso de Medicina vai transformar a realidade do ensino superior de Imperatriz e região.

Para a Reitora da UEMASUL Elizabeth Nunes Fernandes, o ato de assinatura do decreto pelo Governador tem importância histórica para região Tocantina.

“As construções do hospital Socorrão e do Centro de Ciências da Saúde são dois importantes investimentos que contribuirão para melhorias na saúde e educação da população. O novo centro promoverá a expansão universitária, com a efetivação de cursos na área da saúde, a exemplo do curso de Medicina, ainda não existentes na UEMASUL, oportunizando o acesso à educação superior pública e de qualidade. São ações que contribuem para o avanço do desenvolvimento regional”.

As equipes técnicas também estiveram no local verificando as condições do terreno, para, logo em seguida acontecer a etapa dos processos de licitação das construções, que, segundo o secretário Clayton Noleto devem ser iniciadas ainda este ano. “O investimento é de aproximadamente 150 milhões de reais na parte de construção, depois tem a parte de equipamento e montagem. Um equipamento dessa natureza gera muito emprego e renda. Temos visto ano após ano o surgimento de novas escolas profissionalizantes na área da saúde e isso visa também atender essa demanda”.

O hospital Socorrão será um hospital de urgência e emergência que irá atender toda a região Tocantina. “São 300 leitos de enfermaria, e 100 de UTI. A cidade de Imperatriz terá o maior hospital do interior do nordeste, e com isso, cumprimos a promessa do governador Flávio Dino, de construir dois grandes socorrões, um em São Luís, que já foi iniciado e um em Imperatriz. Teremos assim, um complexo de saúde, também com a construção do Centro de Ciências da Saúde da UEMASUL, informou o secretário Carlos Lula.