UEMASUL iniciou 38 projetos de extensão em 2018

Em 2018, o Ministério da Educação (MEC) sancionou a Lei nº 13.005/2014, que prevê, entre outros aspectos, a inclusão da Extensão nos currículos e projetos pedagógicos dos cursos de graduação. No mesmo ano, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) deu início a 38 Projetos de Extensão, com participação de alunos bolsistas e voluntários.
Os Projetos de Extensão desenvolvidos na UEMASUL visam devolver à sociedade da Região Tocantina os investimentos feitos pelo Governo do Estado, conforme explica a Pró Reitora de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica, Regina Célia Costa. “A universidade pública tem que devolver à comunidade os resultados de suas pesquisas. Essa conta com a comunidade é necessária, porque há também um processo de aprendizado nessa relação”.

Segundo o MEC, até 2021, todas as universidades deverão disponibilizar 10% da carga horária dos alunos para participação em projetos de extensão. “Nós fazemos parte do Fórum Nacional de Extensão Universitária e, recentemente, fizemos uma agenda com o MEC para reivindicar a aplicabilidade daquilo que está no plano de educação, então a resolução saiu e temos prazo”, reitera Regina Célia.

Ana Vera Tourinho e Samantha Gonçalves Almeida, ambas acadêmicas do Curso de Ciências Biológicas da UEMASUL, atuam com seus projetos de extensão na Escola Municipal Pedro Abreu, no bairro Vila Fiquene. Ana Vera é a autora do projeto “Análise de Indicadores de Consumo e Aplicação de Práticas de Sustentabilidade” e, três vezes na semana, ministra uma aula teórica sobre sustentabilidade aos alunos do sétimo ano. “Dou uma introdução sobre o que é sustentabilidade. Falo sobre gasto de energia, gasto de água, melhores formas de economizar, sobre lixo, reciclagem, enfim, tento passar toda essa parte teórica para eles para depois entrarmos na parte prática. Após período de ação, é feito um relatório para constatar as mudanças ocorridas no dia-a-dia da escola”, explicou.

Já Samantha atua com o projeto “Espaço Ciência – Fungos na sala de aula”, que tem como objetivo levar os estudos sobre os fungos para dentro do âmbito escolar, ensinando o que são, como se reproduzem, apresentando a diversidade do reino fungi, despertando assim a curiosidade dos alunos. Ela ressalta que sem o auxílio da bolsa de extensão, o projeto se tornaria inviável. “O projeto é inovador! Você está passando conhecimento para todo mundo e, uma vez que o conhecimento é passado para uma pessoa, essa pessoa passa para outra, e assim sucessivamente. A bolsa auxilia muito, pois supre as dificuldades de locomoção e de compra de materiais, tornando o trabalho ainda mais gratificante. “

 

A acadêmica Nathalia Nepomucena encabeça o projeto interdisciplinar “Desafios e Possibilidade de Construção de Cidades Saudáveis”, que conta com a participação de acadêmicos dos cursos de Agronomia e Matemática, além de voluntários de Geografia. O projeto abrange o bairro da Caema e a Vila Leandra e tem como objetivo detectar os principais problemas que a comunidade enfrenta nos bairros, a fim de auxiliar na na criação de um ambiente mais sustentável e ecologicamente saudável para a população. O projeto contou também com a ajuda de 15 alunos da Escola Municipal Santos Dumont, que atuaram na aplicação de questionário para os moradores do bairro.

“Participaram 40 famílias do roteiro de entrevista e a gente percebeu que o principal problema que tem ocorrido nos bairros é a falta de saneamento básico. Agora, no segundo ano de pesquisa, nós temos como objetivo entrar em contato com as autoridades locais para que juntos possamos desenvolver algo que ajude a diminuir esses problemas”, afirma Natália.

Para ela, a bolsa de extensão foi de grande importância para o desenvolvimento do projeto. “A bolsa nos deu suporte técnico para o projeto, fizemos o roteiro de entrevista, foi pago com o auxílio, a gasolina, porque fazemos visitas às escolas. Levamos alunos para os bairros para eles terem mais acesso a esses problemas, para visualizarem melhor, enfim, ela nos ajuda exatamente no aparato técnico para o desenvolvimento do projeto”, conclui.

A UEMASUL encerra 2018 com projetos de extensão em sete áreas: educação, educação e outros, meio ambiente, trabalho, cultura e arte, saúde e tecnologia. Em 2019, a universidade pretende ampliar o número de projetos e bolsas ofertadas aos alunos.

UEMASUL investiu mais de R$ 3,2 mi em ensino em 2018

Ao longo destes dois anos de criação, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) apresenta evolução dia após dia. 2018 foi um ano de crescimento em projetos de pesquisa e extensão, além de investimentos em modernização e novas oportunidades em ensino. Em fevereiro de 2018, foi anunciada a criação do curso de Medicina da UEMASUL, juntando-se às demais etapas de crescimento da universidade.

Ao iniciar o processo de implantação deste curso, a gestão superior participou de reuniões e firmou parcerias com organizações da área da saúde – como a Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS) –, fez visitas à outras universidades e, em novembro de 2018, promoveu o Seminário Internacional de Formação Médica, reunindo professores de universidades internacionais e nacionais para a troca de experiências sobre a formação de médicos.

O evento trouxe relatos e dados sobre o ensino de Medicina em Universidades da Nicarágua, Argentina, Canadá e Cuba, além do Brasil, nos estados de Roraima, São Paulo, Pernambuco e Rio Grande do Norte; proporcionando um debate sobre a importância da formação de profissionais ancorada nas potencialidades e necessidades da região, para fortalecer o sistema de saúde do estado e elevar a qualidade de vida dos maranhenses. Em 2019, o projeto pedagógico do curso de Medicina será apresentado junto ao Conselho Universitário da UEMASUL.

Quanto aos cursos já oferecidos na Universidade, 2018 foi um ano de muitos investimentos em melhorias da estrutura, que chegam à casa de 3,2 milhões de reais. Todos os cinco Centros foram beneficiados com investimentos nas bibliotecas e laboratórios, com a aquisição de livros, equipamentos, manutenção de equipamentos, mobiliários, eletrodomésticos e materiais de consumo necessários para os laboratórios.

A professora Sheila Nunes, Pró-Reitora de Planejamento e Administração da UEMASUL, ressalta a importância destes investimentos. “Ano passado fizemos a reforma física da biblioteca central e desde lá pudemos adquirir novos títulos, para oferecer publicações atualizadas e beneficiar mais alunos. Nós reconhecemos que é fundamental associar as aulas teóricas, aulas práticas, pesquisas e experimentos. Muitas destas atividades podem ser desenvolvidas nos laboratórios, que na maioria das vezes são utilizados por mais de um curso, por isso, este ano, adquirimos equipamentos para modernizar e até mesmo montar alguns novos, como o de Genética e Biologia Molecular, que é uma conquista da universidade.”

Confira no infográfico alguns dos investimentos deste ano:

 

Conselho Universitário da UEMASUL aprova cursos de especialização e resolução para a Estatuinte

 

Órgão máximo de deliberação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, o Conselho Universitário realizou sua última reunião do ano, que foi marcada por pautas importantes para o desenvolvimento da instituição. A reunião ordinária foi aberta com a posse da nova conselheira, a representante discente Maria Rebeca Sousa Oliveira do Centro de Ciências Humanas, Sociais, Tecnológicas e Letras, campus Açailândia. A estudante substitui um colega também de Açailândia. “É muito importante que nós do campus Açailândia possamos estar representados dentro do CONSUN. Esta foi a minha primeira reunião e foi muito proveitosa, principalmente por deliberar pautas tão importantes para nossa universidade como a aprovação dos projetos para os cursos de Pós-Graduação”, afirmou a estudante.

Para 2019 a UEMASUL contará com dois programas de Pós-Graduação Stricto sensu, oferecendo os cursos de especialização em Matemática Aplicada e Física e também Linguagens, Literatura e Sociedade. “Nesse primeiro momento a oferta será de dois cursos gratuitos para a comunidade, que iniciam já em 2019 e que vão atender à uma demanda reprimida que temos na cidade. Ainda em 2019 será lançado outro edital Latus sensu, especificamente no mês de fevereiro, para cursos de especialização nas áreas de Ciências Humanas e Ciências Agrárias”, afirmou a Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação Alinne da Silva.

A oferta de cursos de especialização já estava prevista no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da UEMASUL e representa mais um passo importante para a consolidação de uma política de oferta de pós-graduações na instituição. “Concluí o meu curso em 2016 quando ainda era UEMA e a expectativa para um especialização na minha área era praticamente zero. Agora estou na expectativa que a UEMASUL nos dê esta oportunidade sem que a gente tenha que sair da nossa cidade”, afirmou o egresso Luis Lopes.

ESTATUINTE

O Estatuto é o documento que se refere às normas que regulamentam o funcionamento de uma universidade (estrutura, administração e suas atividades). Ele regula o funcionamento da instituição, bem como os direitos e obrigações de seus membros. Por força da lei, a UEMASUL ainda utiliza o Estatuto da Universidade Estadual do Maranhão, mas, por unanimidade, o CONSUN aprovou a metodologia para o processo Estatuinte da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão.

A elaboração da estatuinte consiste em processo consultivo e deliberativo que tem por objetivo geral elaborar uma proposta para o Estatuto da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão – UEMASULcom a participação de todos os segmentos da universidade (servidores docentes, servidores técnicos-administrativos e discentes). O Estatuto é o conjunto de leis internas que irá reger existência da universidade.

Para a Reitora Elizabeth Nunes Fernandes foi uma grande satisfação a aprovação da normatização. “A aprovação da resolução que normatiza a estatuinte é um grande marco na construção da UEMASUL. Por meio da estatuinte teremos a construção do estatuto de forma democrática, coletiva e com a participação da comunidade acadêmica durante o processo”.

UEMASUL finaliza 2018 com saldo positivo na pesquisa

 

O ano de 2018 termina com um saldo positivo para a pesquisa na Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. Os números superaram as expectativas da gestão superior, projetaram a instituição no cenário nacional e alavancaram o desenvolvimento acadêmico e científico da UEMASUL.

Na iniciação científica, foram ofertadas 130 bolsas, sendo 10 disponibilizadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) contempladas em edital nacional, outras 80 bolsas da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA) e as outras 40 pela própria UEMASUL, em seu programa institucional.  Até 2016, a UEMASUL contava com apenas 33 bolsas para atender a comunidade acadêmica de Imperatriz e Açailândia,  o que representa um crescimento de 390%, se consideramos os números de 2018.

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) tem por objetivo desenvolver as atividades de pesquisa, desenvolvimentos tecnológicos, culturais e de inovação, dando oportunidade de trabalhos de pesquisas nas áreas da ciência e inovação aos alunos da UEMASUL, e dessa forma contribuindo para sua formação acadêmica e profissional. Segundo a Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Alinne Silva, em 2018 foram investidos mais de R$ 400.000,00 em bolsas.  “As bolsas são uma forma de incentivar os professores e pesquisadores a inserirem os alunos em suas atividades. Com essa iniciativa, os acadêmicos têm a oportunidade de acompanhar o método científico de perto, e gerar experiências do mundo acadêmico”, ressalta.

“O edital e iniciação científica não tem limites de cota para Açailândia, isso foi um avanço importante porque os discentes de Açailândia precisavam dos discentes de Imperatriz para as orientações. Devido a essa ampla concorrência pudemos disponibilizar bolsas para que, pela primeira vez em 2017, o campus Açailândia tivesse o acesso ao programa de iniciação cientifica, muito importante na formação dos nossos alunos”, afirmou a Pró-Reitora.

O acadêmico do 7º período do curso de Administração Sancley Estany da Silva Lima, é um dos bolsistas do PIBIC. Orientado pelo professor dr. Edgar Oliveira, seu projeto é sobre desenvolvimento regional com análises dos acontecimentos na cidade de Imperatriz e o porquê dessas mudanças. Sancley relata a importância da iniciação científica para seu crescimento. “A bolsa de iniciação científica abre um grande leque de oportunidades, principalmente para quem quer enriquecer o Lattes e adquirir conhecimentos. Eu tenho interesse em fazer mestrado, posteriormente doutorado, e essa bolsa vem me auxiliar no Qualis e Lates. A pesquisa cientifica me dá um direcionamento sobre a dimensão da atividade que está sendo executada”, ressalta.

Sendo contemplada no programa de iniciação cientifica, com o projeto de pesquisa “Reflexões sobre a fala de alunos do 7º e 8º anos de escolas públicas do município de Açailândia”, sob a orientação da professora doutora Maria da Guia Taveiro e a mestranda Claudiane Maria Galvão, a acadêmica do 7º período do curso de Letras, campus Açailândia, Caroline Sousa Silva fala sobre o desenvolvimento do projeto e o  significado de participar de pesquisas científicas na universidade. “ O foco principal do projeto é investigar os fenômenos da linguagem. O projeto permite que nós pesquisadoras  possamos estar presentes na sala de aula, dentro do campo de estudo. O objetivo é analisar a variação da fala de alunos nos anos finais do ensino fundamental. Acompanhar o cotidiano do aluno e verificar se o professor observa a variedade linguística em sala de aula, especialmente na oralidade. Então, o que nós desenvolvemos e o que o PIBIC nos oportuniza é intervir na sociedade, nesse meio educacional, além de contribuir com os nossos estudos e pesquisas”, finaliza.

CAPTAÇÃO DE RECURSOS EXTERNOS E FOMENTO

Os números impressionam: entre 2017 e 2018, aproximadamente 2 milhões de reais foram captados em editais promovidos pela FAPEMA e CNPq para o fomento de pesquisas científicas. A UEMASUL teve propostas aprovadas em certames importantes como o edital Cidades e a Rede de Institutos Estaduais de Ciência, Tecnologia e Inovação – IECTs do Maranhão, promovidos pela FAPEMA.

PÓS-GRADUAÇÃO

No âmbito da pós-graduação 2018 ficou marcado pela submissão da primeira proposta de mestrado para a instituição, feito pelo curso de Letras, que está em análise e deve ter o resultado anunciado no primeiro semestre de 2019.  Cabe destaque também para os já aprovados cursos de Pós-Graduação com especialização em Matemática Aplicada e Física, e especialização em Linguagens, Literatura e Sociedade, além da possibilidade de outros quatro cursos a serem definidos.

Concursos para Docentes [Novas Vagas]

[ATUALIZAÇÃO]

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão divulga o edital nº 042/2018 de concurso público, para o cargo de professor Adjunto de Magistério Superior. O concurso é destinado a selecionar candidato para o cargo de docentes da UEMASUL, no intuito de atender ao Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas (CCENT) , no campus Imperatriz. 

A seleção para o cargo de professor terá os seguintes processos: prova escrita de conhecimentos e leitura pública, prova didática, de caráter eliminatório e classificatório, e prova de títulos de caráter classificatório. O programa com 10 temas, para uso na prova escrita e na prova didática será elaborado e aprovado pelo Conselho de Centro.
No primeiro momento, a inscrição é para o cargo de professor adjunto, e acontece no período de 18 de dezembro à 18 de janeiro de 2019.

A inscrição na 2ª etapa, para o cargo de professor assistente, só ocorrerá se não tiver inscrição na 1ª etapa, para o cargo de professor adjunto. O valor da taxa é de R$ 100 e deve ser pago no Banco do Brasil, na conta da UEMASUL.

______________________________________________________________________________________________________________________________

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão divulga os editais nº 039/2018, nº 040/2018 e nº 041/2018 de concursos públicos, para o cargo de professor Adjunto de Magistério Superior. O concurso é destinado a selecionar candidatos para o cargo de docentes da UEMASUL, no intuito de atender ao Centro de Ciências Humanas, Sociais e Letras (CCHSL), e  Centro de Ciências Agrárias, Naturais e Letras (CCANL) , nos campi Imperatriz e Estreito. 

A seleção para o cargo de professor terá os seguintes processos: prova escrita de conhecimentos e leitura pública, prova didática, de caráter eliminatório e classificatório, e prova de títulos de caráter classificatório. O programa com 10 temas, para uso na prova escrita e na prova didática será elaborado e aprovado pelo Conselho de Centro.
No primeiro momento, a inscrição é para o cargo de professor adjunto, e acontece nos períodos de 11 de dezembro à 14 de janeiro de 2019; e 17 de dezembro à 17 de janeiro de 2019.

A inscrição na 2ª etapa, para o cargo de professor assistente, só ocorrerá se não tiver inscrição na 1ª etapa, para o cargo de professor adjunto. O valor da taxa é de R$ 100 e deve ser pago no Banco do Brasil, na conta da UEMASUL.

Os editais completos e os documentos necessários estão no site: http://uemasul.edu.br/baixar.php

UEMASUL desenvolverá projeto sobre o patrimônio cultural de Vila Nova dos Martírios

Com a divulgação do resultado dos aprovados pelo edital de cidades da Fundação de Amparo à Pesquisa do Maranhão (FAPEMA), a UEMASUL arrecada financiamento para mais um projeto de pesquisa, desta vez para o Registro do Patrimônio Cultural e da Memória na Cidade de Vila Nova dos Martírios.

Um dos compromissos da UEMASUL é promover o desenvolvimento regional, articulando junto às comunidades ações baseadas nos potenciais de cada cidade, buscando atender as diversas demandas existentes. A proposta aprovada é multidisciplinar e visa apresentar a memória e a cultura da cidade como recurso didático ao ensino de língua portuguesa no ensino fundamental.

Emancipada em 1988, Vila Nova dos Martírios é uma das 22 cidades que estão incluídas na área de abrangência da UEMASUL, e tem cerca de 2 mil alunos matriculados no ensino fundamental na rede pública. O município, que está a 115 km de Imperatriz, integra a bacia leiteira do estado, agrega grandes áreas de silvicultura para a produção de papel e carvão, além de explorar de forma significativa o extrativismo do açaí, chamado pelos vilanovenses de “ouro negro”.

Entrevistas com integrantes da Cooperativa dos Açaizeiros da Região Tocantina – COOAÇAÍ serão fundamentais para a construção de sequência didática para o ensino de língua portuguesa, composto por relatos de memória sobre saberes tradicionais, festas, culinária, meio ambiente e outros aspectos da cultura da região. As propostas escolhidas tinham como principal objetivo contribuir para a resolução de problemas enfrentados nas cidades do Maranhão, e dentre os eixos disponíveis, está o de patrimônio cultural e memória, em que o projeto se enquadra.

Durante o ano de ação do projeto, um aluno de graduação da UEMASUL e um aluno de 7º ano, desenvolverão uma sequência didática juntos, a partir de visitas à sede da Cooaçaí, palestras na escola e pesquisas, o projeto multidisciplinar foi desenvolvido por duas professoras doutoras, Sônia Maria Nogueira, de Letras, e Lucileia Ferreira Lopes, de Geografia.

“Nós conhecemos Vila Nova dos Martírios, o trabalho da cooperativa e já tínhamos um professor parceiro em uma das escola. Por isso, pensamos em fazer uma sequência didática em que um graduando e um aluno de 7º ano trabalhassem juntos no sentido de aproximar a Cooaçaí, a escola e a UEMASUL. Esperamos que a UEMASUL esteja na cidade particularmente com o ensino fundamental para identificarmos estas histórias, estas narrativas, em uma maneira de registrar a memória e a cultura da cidade e principalmente que reconhecê-los”, conta Sônia Nogueira, uma das responsáveis pelo projeto.

Os relatos de uma criança para as outras servirão de base para a produção do material, uma forma de aproximar a comunidade da sua história. O professor responsável já fez pesquisas científicas em parceria com a universidade, e uma das pretensões das idealizadoras é que a equipe – os alunos e o professor – possam apresentar o resultado em congressos de produção científica.

UEMASUL completa 1 ano de credenciada junto ao Conselho Estadual de Educação

A criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão foi um marco para o desenvolvimento regional e para a democratização do ensino superior na região Tocantina, e em todo o Maranhão. E, em seu caminho de implantação e consolidação, o principal desafio a ser superado foi o credenciamento da instituição junto ao Conselho Estadual de Educação (CEE).

“Para a universidade, o credenciamento é a certidão de nascimento, o documento máximo que permite o pleno funcionamento e que abre os horizontes para a expansão da instituição. É uma data para celebrarmos, mas, também para nos lembrar onde deveremos chegar daqui quatro anos, quando deveremos submeter a UEMASUL ao recredenciamento”, afirmou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes.

Ao longo desse primeiro ano de credenciada, a UEMASUL já pode emitir os seus próprios diplomas, diminuindo drasticamente o tempo de espera do formando para receber o seu diploma. Outro avanço com o credenciamento foi a possibilidade de criação de novos cursos e centros. A expectativa é que em 2019 o Centro de Ciências Agrárias, Naturais e Letras, que funcionará em Estreito ofereça mais 4 cursos de graduação, além do Centro de Ciências da Saúde que implantará o curso de Medicina em Imperatriz.

“Novos cursos significam mais vagas, mais oportunidades para o estudante acessar o ensino superior sem precisar sair da sua cidade ou da sua região. Eu que almejo ser médico, torço todos os dias para que a UEMASUL continue nesse crescimento”, afirmou o estudante Matheus Sobral, que concluirá o ensino médio em 2019.

O grande e esperado anúncio do credenciamento foi feito no dia 14 de Dezembro de 2017, antes mesmo da UEMASUL completar 1 ano de funcionamento. Depois do relatório da Comissão de Avaliação e do parecer favorável da Câmara de Ensino Superior, o plenário do Conselho Estadual de Educação aprovou por unanimidade o credenciamento da UEMASUL por 5 anos, prazo máximo que pode ser dado a uma instituição.

Passo a passo

1. Ao acessar Sistema SIGAA no Portal do Aluno e do Docente, existe a aba “Biblioteca”, clique no “Acessar biblioteca virtual da PEARSON”.

2. Ao clicar na opção descrita o usuário será redirecionado para uma nova aba de navegação, na qual acessará automaticamente a biblioteca virtual PEARSON.  Ao acessar a área inicial da biblioteca virtual a mesma solicitará ao usuário para definir uma lista de interesses para automaticamente recomendar materiais do interesse do usuário.

3. Após definição dos interesses o usuário poderá navegar na Biblioteca Virtual Pearson, podendo ainda alterar as informações pessoais e redefinir os interesses no ícone no lado superior direito.

4. O usuário poderá navegar e buscar o material desejado, mas, caso não tenha interesse no recomendado na lista de interesses, é possível encontrar mais material clicando em “Ver Tudo” ou “Explorar”.

5. Após clicar em “Ver tudo” ou “Explorar” será exibida uma aba com o acervo PEARSON separado por conteúdo do material ou por tema.

6. Após encontrar o material desejado basta clicar nele e aparecerão as opções “Inicio de leitura” ou “Adicionar na lista”.

7. Ao iniciar a leitura o usuário será redirecionado a uma aba para realizar a leitura do material escolhido, sendo o mesmo exibido em formato de paginação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

*Material produzido pela Assessoria de Comunicação e Coordenação de Tecnologia da Informação.

UEMASUL e Banco do Brasil promovem palestra para empreendedores de Carolina

O Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking de países no qual as pessoas mais investem no seu próprio negócio, consequentemente, ocupa também o primeiro lugar dentre os países que mais fecham as portas das suas empresas. O tempo médio de vida de uma empresa no Brasil é de pouco mais de 5 anos. Levando em consideração este contexto, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, em parceria com o Banco do Brasil da cidade de Carolina, promoveu a palestra “Gestão Financeira de Negócios”, ministrada pelo Mestre em Gestão e Desenvolvimento Regional, professor Thiago Sousa Silva, do Curso de Administração da UEMASUL.

A gerente do Banco do Brasil em Carolina, Suyane Backman, ressalva a importância do evento para a população empreendedora da cidade e também para estudantes do Instituto Federal do Maranhão, que também se fizeram presentes. “Trazer essa palestra para o município é enriquecer o conhecimento, sair do paradigma de estar só no conhecimento do senso comum, e trazer para um conhecimento específico, conhecimento teórico”. O gerente também aponta a importância da parceira entre o Banco do Brasil e a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. “Trazer uma universidade como a UEMASUL  é essencial pra gente enriquecer a cultura do administrador carolinense, para que possa agregar valores a administração do empresário “.

“Acredito que aqueles que já trabalham na área, podem começar a ter algumas reflexões acerca do que foi dito e rever os seus processos e fazer algum tipo de mudança do seu negócio, e ter esse despertar inicial para esse tipo de mudança”. Afirma o Prof. Msc. Thiago Sousa, que avaliou positivamente o resultado da palestra, dado a dificuldade enfrentada pelos pequenos empresários nos dias atuais.

Natal da Penha, presidente da Câmara de Dirigentes Logistas de Carolina, destacou os benefícios da palestra aos empreendedores da cidade, expondo suas maiores dificuldades e contando suas principais aspirações. “São assuntos muito pertinentes ao mercado, principalmente na questão da inadimplência, e também na questão da gestão financeira pelos pequenos empresários, então espero que eles tenham assimilado todas as informações, e que eles utilizem de uma forma boa”, afirmou.