UEMASUL é contemplada com quatro aprovações de projetos em editais da FAPEMA

Divulgado na manhã de quarta-feira (07), o resultado dos Editais do Instituto Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão (IECT) por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), foi recebido com entusiasmo por professores e alunos da UEMASUL. Quatro projetos foram aprovados nas linhas de pesquisa Agricultura Familiar, Saúde e Babaçu. Ao todo, serão quase 200 mil reais destinados ao desenvolvimento da pesquisa científica na Universidade.

Contemplado no Edital n° 28/2018 – IECT Babaçu, o projeto de pesquisa da Profa. Dra. Anatércia Ferreira Alves, que trata do estado nutricional do babaçu para o estado do Maranhão, receberá um total de R$ 47.405,00.

O  Edital n°  030/2018 -IECT Saúde,  no âmbito da linha de ação “Mais Ciência”, aprovou o projeto Custo-efetividade de testes auxiliares no diagnóstico da Hanseníase em áreas de hiperendemia, contemplado com um total de R$ 46.725, 76. O projeto foi construído em parceria com a UEMA, UEMASUL e UFMA, sob a coordenação da Profa. Dra. Maria Edileuza Soares Moura (UEMA/CAXIAS), e vice-coordenação da Profa. Dra. Sheila Elke Araújo Nunes, que falou sobre a importância do projeto, que irá oferecer aos profissionais de saúde, opções adicionais na investigação diagnóstica dos casos de hanseníase. “A hanseníase ainda constitui-se um problema de saúde pública que necessita de intensificação de ações de saúde, principalmente, no que diz respeito a busca ativa, educação em saúde e adesão de novos  métodos diagnósticos complementares, a fim de viabilizar o diagnóstico precoce, interromper a cadeia de transmissão, e possivelmente atingir a meta de eliminação da doença estabelecida pela Organização Mundial da Saúde”.

Já os projetos dos professores Dr. Allison Bezerra Oliveira e Dra. Ivaneide de Oliveira Nascimento, que tratam, respectivamente, do uso competitivo do território pela cadeia produtiva de papel e celulose e do melhoramento da produção do feijão-Caupi com o uso do fungo Trichoderma no Maranhão, ambos aprovados no Edital nº 029/2018 – IECT Agricultura Familiar, receberão um total de R$ 88.763,64.

Para a Profa. Dra. Ivaneide de Oliveira, a aprovação dos projetos voltados para a agricultura familiar representam, além de novas linhas de pesquisas na UEMASUL, uma aproximação da universidade com o pequeno agricultor da Região Tocantina. “Este projeto de inserção do fungo Trichoderma na produção de feijão-Caupi representa uma alternativa, uma ajuda ao agricultor familiar no aumento de sua produção no campo, com este fungo que cultivaremos em laboratório. É por meio dele que faremos este link da universidade com o pequeno agricultor”.

Ela destaca também a importância da aprovação destes projetos para a Universidade. “Isto representa mais fontes de financiamentos de projetos para a UEMASUL, pois, além de financiar bolsas para nossos estudantes, também permitirá a aquisição de materiais e equipamentos para que possamos ter uma pesquisa de laboratório mais avançada na Universidade”.

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE FORMAÇÃO MÉDICA

Acontece nos dias 29 e 30 de novembro o Seminário Internacional de formação Médica, promovido pela Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS) e a Secretaria de Saúde do Governo do Estado do Maranhão. O objetivo do evento é debater a formação dos futuros estudantes do curso, fortalecendo o processo da formação profissional em saúde no estado.

Abertura: Auditório da UEMASUL (Rua Godofredo Viana, 1300)

Demais atividades: Auditório da UEMASUL

UEMASUL abre processo seletivo interno para criação de cursos de especialização Lato sensu

Cada vez mais a Pós-Graduação torna-se um dos principais itens que compõe um currículo bem construído. Seja visando uma carreira acadêmica ou para ter um diferencial no mercado de trabalho, os cursos de especialização tem papel estratégico no desenvolvimento regional, na perspectiva da formação e aperfeiçoamento profissional.

Neste contexto, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) lançou na última semana um edital interno que irá criar até seis cursos de Pós-Graduação Lato sensu, em nível Especialização. “Nossas graduações poderão elaborar propostas para criação de cursos de especialização em suas áreas. Esperamos contemplar nossos egressos, assim como a sociedade em geral, sempre visando que as pesquisas e trabalhos tenham a perspectiva regional, transversal e multidisciplinar”, afirmou a professora Sônia Nogueira, coordenadora de Pós-Graduação da UEMASUL.

A expectativa é que uma vez aprovados, até seis cursos sejam ofertados, todos gratuitos e em modalidade de ensino presencial. “O lançamento do edital é mais um passo importante para a ampliação e fortalecimento do ensino superior na região”, afirmou Elizabeth Nunes Fernandes, reitora da UEMASUL.

De acordo com edital publicado, os lançamentos e seleções para os cursos de especialização já poderão acontecer no primeiro semestre de 2019. Para o acadêmico Sancley Estany, que está no último período do curso de Administração no campus Imperatriz, a possibilidade de continuar os estudos após a conclusão da graduação é bastante animadora. “Contamos que, em futuro bem próximo a gente possa ter uma especialização para o aprimoramento e desenvolvimento profissional”, afirmou o estudante.

UEMASUL realiza I Semana Acadêmica de Pesquisa, Inovação e Extensão

A I Semana Acadêmica de Pesquisa, Inovação e Extensão da UEMASUL (SAPIENS) será realizada de 07 a 9 de novembro. A partir deste ano o Seminário de Iniciação Científica e a Jornada de Extensão Universitária serão realizados de forma integrada, sendo coordenados pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PROPGI) e a Pró-Reitoria de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica (PROGESA). A solenidade de abertura será realizada dia 07, às 18h, no auditório da Universidade Aberta do Brasil – UAB, localizada na praça União, com a palestra magistral: “Como a iniciação científica contribui para uma trajetória acadêmica de sucesso”, realizada pela bióloga Joana Paula Bispo Nascimento.

O SAPIENS tem o objetivo de divulgar os resultados dos projetos de iniciação científica desenvolvidos na instituição. Além disso, o seminário visa a socialização do conhecimento, o incentivo à pesquisa e a articulação da instituição com o ensino e a extensão, que são pilares da universidade, para o enriquecimento da formação acadêmica dos discentes da UEMASUL.

A coordenadora de Pesquisa e Inovação Regiane Saturnino, disse que a expectativa é a melhor possível, já que as inscrições esgotaram rapidamente, demonstrando um grande interesse por parte dos acadêmicos. “A programação do evento está muito atrativa, voltada às necessidades dos alunos e, pela primeira vez envolve uma grande integração de toda a Universidade e de todos os trabalhos desenvolvidos pelos acadêmicos da UEMASUL, dentro do ensino, pesquisa e extensão”.

A programação da SAPIENS 2018 irá ofertar minicursos, oficinas, mesa redonda, palestras, premiação, momento cultural, além das apresentações orais dos acadêmicos vinculados ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI), Programa Mais IDH e Programa Institucional de Bolsas de Extensão (PIBEXT).

Esses programas foram criados com o objetivo de estimular pesquisadores a envolver estudantes de graduação nas atividades de pesquisa e extensão, incentivar a troca de competências locais e regionais no processo de aprendizado e produção do conhecimento por meio da pesquisa e extensão na área de abrangência da UEMASUL e, principalmente, contribuir para o desenvolvimento dos municípios com menor IDH da Região Tocantina do Maranhão.

A acadêmica Andressa Silva Brito faz o 4º período do curso de Geografia, e é uma bolsista de extensão. Para ela é extremamente importante essa troca de conhecimentos. “O encontro que vai acontecer essa semana entre os acadêmicos  de pesquisa e os acadêmicos da extensão proporciona um conhecimento sobre os projetos dos colegas. Para os  bolsistas  representa o interesse da instituição em conhecer  e incentivar os projetos.  O meu projeto, por exemplo, depois de finalizado foi renovado por mais seis meses”.

Para a coordenadora de Sustentabilidade e Integração Iane Paula Rego Cunha Dias, um dos objetivos do evento é a unificação do tripé da universidade: ensino, pesquisa e extensão. “Durante a semana acadêmica teremos um panorama geral dos nossos trabalhos. Saberemos se estamos fazendo o nosso papel de regionalização como universidade. Teremos ainda a oportunidade de avaliarmos os avanços e o desenvolvimento dos nossos alunos”.