UEMASUL realiza Seminário Internacional de Formação Médica

Aconteceu na manhã desta quinta-feira (29), no auditório do campus Imperatriz, a solenidade de abertura do Seminário Internacional de Formação Médica, promovido pela Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS) e a Secretaria de Saúde do Governo do Estado do Maranhão. O objetivo do evento é debater experiências e perspectivas na graduação, fortalecendo o processo da formação profissional em saúde no estado.

O curso de Medicina representa um grande avanço nas políticas públicas de saúde e educação da Região Tocantina, junto à criação do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. “Este é um evento importante não só para a implantação do nosso curso de medicina, mas também para as demais universidades instaladas no estado e que ofertam essa graduação, e consequentemente para toda a sociedade, que se beneficiará com novos médicos na região”, afirmou a Profª Sheila Elke Araújo, que é pró-reitora de Planejamento e Administração e presidente da comissão de implantação do curso de medicina da UEMASUL. 

A Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil é parceira da UEMASUL no processo de criação do curso de Medicina da instituição. Segundo Mônica Padilla, coordenadora da Unidade Técnica de Capacidades Humanas para a Saúde da OPAS/OMS no Brasil, a proposta do evento e de criação do curso de medicina contempla as principais linhas de atuação da organização. “Discutir a formação profissional na medicina é fundamental e totalmente alinhada com os compromissos regionais, nacionais e globais da OPAS”, afirmou a representante, que concluiu: “Aqui temos experiências internacionais da Argentina, Canadá, Cuba e Nicarágua… Equipes de profissionais de universidades que também estão trabalhando para transformar a saúde pública’, finalizou.   

Consultor para a implantação do curso de Medicina, o ex-ministro da saúde Alexandre Padilha avalia que a UEMASUL apresenta um grande potencial na criação do Centro de Ciências da Saúde, principalmente se levado em consideração a perspectiva regional da universidade. “O curso está sendo planejado em uma perspectiva internacional, aprendendo como outros países formam os seus médicos e tendo a oportunidade de interagir com essas universidades”. 

O seminário está divido em duas partes: uma sessão aberta para todas as instituições de Ensino Superior sediadas no Estado, com o propósito de debater o panorama global da formação médica em saúde, seus desafios e oportunidades, além de analisar as experiências internacionais para a formação médica na perspectiva de universalizar a saúde.

A segunda parte será uma discussão interna focada na consolidação do projeto político pedagógico, voltado para o perfil do estudante da região de Imperatriz, levando em consideração a estrutura da rede de atenção à saúde existente e de acordo com as necessidades de saúde da população, com o propósito de contribuir com a proposta de formação do Curso de Medicina da UEMASUL. 

UEMASUL participa da campanha “Cidadão consciente – Gestão transparente”

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão recebeu a promotora de Justiça de Imperatriz, Nahyma Ribeiro Abas, para a apresentação da campanha “Cidadão consciente – Gestão transparente”, do Ministério Público Estadual do Maranhão.

Com o objetivo de combater o acúmulo de funções no serviço público, a campanha está sendo apresentada em todos os municípios do estado e instituições para conscientizar gestores e funcionários públicos sobre direitos e deveres, cumprindo as determinações legais baseadas nos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Uma das ações propostas pela campanha é o cruzamento de dados em folhas de pagamentos dos municípios.

A campanha foi motivada pelas inúmeras denúncias recebidas pelo Ministério Público sobre a acumulação indevida de cargos nas administrações públicas, gerando funcionários fantasmas, que segundo informou a promotora, causam grande prejuízo aos cofres públicos, prejudicando a prestação dos serviços.

Durante a apresentação da campanha na UEMASUL, a promotora Nahyma Ribeiro Abas falou sobre a receptividade dos municípios. “Os municípios estão aderindo à campanha de forma bem participativa tomando providencias em um primeiro momento e levando ao conhecimento da promotoria o resultado das suas demandas, até porque é uma campanha com impacto nos cofres públicos, reduzindo despesas com pessoal”.

A promotora falou ainda sobre o compromisso e responsabilidade da gestão da universidade frente à campanha “Cidadão consciente – Gestão transparente”. “A UEMASUL tem dado respostas à nossa demanda, no sentido de resolver problemas no âmbito da universidade. Isso é importante porque o Ministério Público tem que agir apenas em um segundo momento quando as instituições de controle não funcionam, mas, a UEMASUL tem demonstrado o compromisso em resolver as questões que são de sua competência”.

UEMASUL realiza lançamento de livros no encerramento do I Simpósio Interdisciplinar

O I Simpósio Interdisciplinar de Ciências Humanas foi encerrado na última semana com lançamento de seis livros, frutos de estudos e pesquisas dos cursos de licenciatura da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão. O lançamento dos livros se firmou na ação coletiva dos cursos de Pedagogia, Geografia e História a partir do anseio em comum pela divulgação das pesquisas desenvolvidas nos respectivos cursos.

Foram lançados os títulos: A escola de Vigotski e a humanização do sujeito histórico: dialogando com a formação de professores. Autores Francisco de Assis Carvalho de Almada (Org); Ludusformação: recursos didáticos alternativos. Autores: Aparecida de Lara Lopes Dias et al.;Temáticas indígenas e a Lei 11645/2008 – conhecer para valorizar. Organizadoras: Ilma Maria de Oliveira Silva; Aparecida de Lara Lopes Dias; Formação de professores, o ensino e práticas pedagógicas: reflexões necessárias na contemporaneidade. Autoras: Francisca Melo Agapito, Aparecida de Lara L. Dias, Ana Claudia de Sousa; Cidades em cena na Amazônia Oriental: agentes, dinâmicas e processos. Autores: Helbaneth Macedo, Jailson de Macedo, Sheryda Carvalho (Orgs); Geografia: trabalho, sociedade e meio ambiente. Organizadores: Luiz Carlos A. dos Santos; Geovanni Seabra; Cláudio Eduardo Castro. (Orgs).

A divulgação das pesquisas contribui para o estreitamento dos laços tanto da comunidade acadêmica dos cursos de Pedagogia, Geografia e História, quanto da comunidade externa, por ressaltar os aspectos regionais das pesquisas. Por meio dos livros a universidade abre espaço para novos diálogos e consequentemente para a produção de novos conhecimentos.

Para a professora Lucélia Ferreira, do curso de Geografia, o I Simpósio Interdisciplinar teve algumas iniciativas fundamentais, “dentre elas o lançamento de livros como um momento de conhecer o trabalho desenvolvido por outras áreas, que não tiveram a oportunidade de dialogar, assim o evento possibilitou várias atividades interdisciplinares nessa perspectiva”.

O coordenador do curso de Pedagogia Francisco de Almada destacou a relevância do simpósio. “Esse evento é muito importante para a UEMASUL, porque a partir do momento que nos tornamos universidade tivemos o propósito de cumprir com todas as obrigações de universidade e sermos, também, interdisciplinar. Além da troca de experiências, aproveitamos também para divulgar a produção dos cursos de Ciências Humanas”.

Um dos organizadores do evento, o professor de Geografia Jailson de Macedo falou sobre os desafios para a difusão de conhecimentos. “Ao mesmo tempo em que aparece o entusiasmo, aparecem também os desafios, como diz a temática principal do evento – Diálogos interdisciplinares sobre a formação docente, que é buscar uma aproximação entre esses saberes. Esse é um dos papeis de todas as universidades e com a UEMASUL não seria diferente, sua missão é produzir e difundir conhecimentos que tenham um alcance regional, esse foi o proposito maior que nos motivou, aproximar a produção de conhecimento e de saberes, por meio desse diálogo”, reitera.

UEMASUL realiza 3ª Semana do Cinema Africano

O Núcleo de Estudos Africanos e Indígenas (NEAI) da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), promove entre os dias 26 a 30 de novembro, a 3ª Semana do Cinema Africano em homenagem ao mês da consciência negra. Os filmes serão exibidos no auditório da UEMASUL com abertura ao público.

O objetivo da Semana é proporcionar o conhecimento da produção cinematográfica africana e o aprofundamento em sua história real, a partir de questões problematizadas nos filmes.

A programação possui uma seleção de filmes, contemplando gêneros como romance, drama e ação, e todas as sessões terão início as 19h. Após a exibição de cada filme haverá mesa redonda para a discussão das temáticas abordadas.

O Cinema Africano surgiu como uma perspectiva de resgate das identidades culturais e lutas emancipatórias do povo negro. Criar espaços de discussões étnicas e culturais dentro da universidade é valorizar a sua pluralidade. Além de envolver atividade cultural, a 3ª semana do Cinema Africano busca engajar estudantes e comunidade na linguagem cinematográfica.

A partir de pesquisas e estudos africanos e indígenas, o NEAI promove discussões que colocam em evidência assuntos e conhecimentos sobre essas áreas, buscando preservar seu patrimônio material e imaterial. Discutir e problematizar o processo de construção da identidade do povo africano por meio do cinema, é tentar distorcer a imagem cinematográfica europeia estereotipada do continente africano.

Cinco filmes foram selecionados para exibição durante a semana:

26/11/2018  (19h)

Carmen na África

2005 – Drama/Romance (duração: 2h 2m)

27/11/2018 (19h)

Dias de Glória

2006 – Drama/Ação (duração: 2h 8m)

28/11/2018 (19h)

Félicité

2017 – Drama/Música (duração 2h 9m)

29/11/2018 (19h)

Les chevaux de Dieu

2012 – Drama (duração 1h 55m)

30/11/2018 (19 hs)

The Athlete

2009 – Biografia/Drama (duração 1h 32m)

UEMASUL participa de seminário voltado para negócios rurais

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), esteve presente no V Seminário de Negócios Rurais, promovido pelo Sebrae Maranhão, por meio da sua Regional em Imperatriz. O evento foi realizado no parque de exposições Lourenço Vieira da Silva. A Reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes, esteve presente na solenidade de abertura, ao lado de autoridades políticas e produtores rurais da região.

Com o tema: Empreendedorismo transformando a agropecuária, o seminário teve como objetivo promover um intercâmbio de conhecimento entre produtores ligados ao desenvolvimento da pecuária de leite e corte no Maranhão. Neste sentido, a UEMASUL apresentou em seu estande pesquisas e projetos de extensão nas áreas de consorciamento em pastejo e na área florestal; melhoria da produção; vermifugação, entre outros, desenvolvidos nos cursos de Medicina Veterinária, Engenharia Agronômica e Engenharia Florestal.

Maurício Antônio Costa Simões, aluno do 8º período do curso de Engenharia Agronômica, apresentou o trabalho “Bombeamento de água no meio rural com tecnologia de baixo custo”, que consiste em uma bomba hidráulica que dispensa o uso de energia elétrica para seu funcionamento, usando apenas a força da gravidade. Maurício destaca que o projeto, testado em uma propriedade rural no município de São Francisco do Brejão, é uma alternativa de baixo custo para o produtor.

“Este trabalho surgiu pela necessidade do produtor de ter boa distribuição de água no meio rural, seja para abastecimento, uso em casa, ou mesmo para consumo dos animais. O carneiro hidráulico consiste em bombear a água de um ponto específico, geralmente rios ou outros reservatórios, para um ambiente mais alto, de difícil acesso, sem o uso de energia elétrica, além de utilizar materiais de baixo custo, como a garrafa pet. É uma alternativa econômica para o produtor, pois pode ser montado com menos de duzentos reais, não vai haver gasto com energia elétrica e tem apenas a manutenção anual, que pode ser a reposição de alguma peça, e você tem um produto com a durabilidade de 10 a 20 anos”.

Para a diretora em exercício do Centro de Ciências Agrárias (CCA), Monalisa de Sousa Moura Souto, a participação da UEMASUL representa uma oportunidade de dar visibilidade às pesquisas e projetos de extensão desenvolvidos na universidade. “Esta presença da UEMASUL aqui é importante porque os produtores podem conhecer um pouco dos trabalhos que desenvolvemos. Então, a cada passo que a gente dá, informando, mostrando um pouco do que a gente pode fazer, acabamos abrangendo esses produtores e podendo contribuir um pouco mais para o desenvolvimento da pecuária na região”.

UEMASUL promove o I Simpósio Interdisciplinar de Ciências Humanas

Na perspectiva de estabelecer diálogos entre as diversas áreas de conhecimento relativas ao processo educacional e desenvolvimento profissional de professores, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão promove de 21 a 23 de novembro de 2018, o I Simpósio Interdisciplinar de Ciências Humanas, com temáticas de ação, voltadas para áreas da Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação, Meio Ambiente, Trabalho e Desenvolvimento.

O Simpósio visa abranger toda a comunidade acadêmica dos cursos de licenciatura, especificamente, as áreas da Pedagogia, Geografia e História, além dos profissionais da educação e sociedade da Região Tocantina. O evento busca articular conhecimento e saberes, por meio de diálogos interdisciplinares sobre a formação docente, aspirando à disseminação de atividades acadêmicas, cientificas e culturais em diferentes áreas de conhecimentos.

A programação do Simpósio Interdisciplinar conta com discussões, suscitadas por meio de palestras, mesas redondas, comunicações orais, oficinas, minicursos e o ponto forte do evento, o lançamento de livros, frutos da produção científica da UEMASUL. O evento foi aberto com a  apresentação teatral “Conto de fadas”, realizada pelo 5º  período do curso de Pedagogia.

O professor de Geografia da UEMASUL e um dos coordenadores do evento, Jailson de Macedo, ressalta o significado da realização do simpósio interdisciplinar. “Uma universidade jovem como a UEMASUL, que nasce neste intuito da promoção das diferentes linhas de conhecimento, necessita apresentar resultados para a sociedade. Nesta perspectiva,  a instituição por meio do simpósio busca promover essa interação entre os cursos, gerando esses diálogos entre as diferentes formas de conhecimentos, e desta forma, trazer respostas com mais eficiência as demandas que a sociedade coloca”, afirma.

A acadêmica Jaine Silva Sousa, do 7º período de Pedagogia disse ser um privilégio participar do primeiro Simpósio Interdisciplinar de Ciências Humanas.  “O simpósio vem enriquecer a formação docente, é um evento muito importante onde duas áreas estão envolvidas em prol de um único objetivo: a formação docente. Nós temos o curso de Pedagogia e Geografia dialogando através de mesas redondas, oficinas, minicurso, tudo para que a formação docente seja eficaz, dando uma contribuição para a sociedade”.

Laila Santos Silva é egressa do curso de Geografia da UEMASUL, graduada esse ano. Para ela,  a interdisciplinaridade  é muito citada na graduação e  pouco praticada. “Quando vemos os cursos de Geografia e Pedagogia conversando sobre a formação do professor, a gente faz com que esses cursos saiam mais fortes no sentido pedagógico da academia. Então, a partir do momento que há esse conversa, esse diálogo com os cursos todos saem ganhando”.

Lançamento de livros

Dentro da programação, o Simpósio terá um momento de divulgação das pesquisas desenvolvidas na UEMASUL, por meio do lançamento de nove livros, nas diversas áreas das Ciências Humanas.

Para a professora e coordenadora do evento, Flaviana Oliveira, o lançamento dos livros representa uma conquista para área das pesquisas cientificas na UEMASUL, em parceria com outras instituições de Imperatriz. “Os livros são produções de pesquisas científicas desenvolvidas na UEMASUL, que somam este conjunto de obras. Então, o lançamento dos títulos representa a coroação de um trabalho desenvolvido em conjunto, assim, permitindo que tenhamos uma maior visibilidade para que a sociedade conheça os trabalhos científicos que estão sendo produzidos na universidade”, finaliza.

Lista das obras:

  • A escola de Vigotski e a humanização do sujeito histórico – Autor: Francisco de Assis Carvalho de Almada (Org).
  • Ludusformação: recursos didáticos alternativos – Autores: Aparecida de Lara Lopes Dias et al. Imperatriz: Ethos, 2016.
  • Temáticas indígenas e a Lei 11645/2008 – conhecer para valorizar – Organizadoras: Ilma Maria de Oliveira Silva, Aparecida de Lara Lopes Dias. Goiânia: Editora Vieira, 2018.
  • Formação de professores, o ensino e práticas pedagógicas: reflexões necessárias na contemporaneidade – Autoras: Francisca Melo Agapito, Aparecida de Lara L. Dias, Ana Claudia de Sousa Edibrás. Gráfica e Editora. Uberlândia, 2018.
  • Cidades em cena na Amazônia Oriental: agentes, dinâmicas e processos – Autores: Helbaneth Macedo, Jailson de Macedo, Sheryda Carvalho (Orgs). Gioânia: Editora Vieira, 2018.
  • Geografia: Trabalho, sociedade e meio ambiente – Organizadores: Luiz Carlos A. dos Santos; Geovanni Seabra, Cláudio Eduardo Castro. São Luís: Editora UEMA, 2018.
  • Mapas mentais: dialogismo e representações – Autor: Salete Kozel (Org.). Appris Editora. Curitiba/PR, 2018.
  • O Espírito e as igrejas – Organizadores: Adriano Lima, Moab Cesar, Valdinei Gandra. São Paulo: Editora Recriar, 2018.

3ª Semana do Cinema Africano homenageia mês da Consciência Negra

 

O Núcleo de Estudos Africanos e Indígenas (NEAI) da UEMASUL promove de 26 a 30 de novembro, a 3ª Semana do Cinema Africano.  A programação possui uma seleção de filmes, contemplando gêneros como romance, drama e ação, todas as sessões terão início as 19h.  O objetivo da Semana é proporcionar o conhecimento da produção cinematográfica africana e o aprofundamento em sua história real, a partir de questões problematizadas nos filmes.

I Simpósio Interdisciplinar de Ciências Humanas

I Simpósio Interdisciplinar de Ciências Humanas da UEMASUL promovido pelo Centro de Ciências Humanas, Sociais e Letras, e cursos de Geografia e Pedagogia. O evento acadêmico-científico e cultural tem o objetivo de refletir sobre as múltiplas dimensões relativas ao desenvolvimento profissional de professores buscando articular teoria e prática.

Inscrições: http://sinterch.uemasul.online

UEMASUL celebra convênio com a Rede Amazônica de Ensino de Ciências e Matemática

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) assinou um termo de adesão ao Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM). Com a adesão, a UEMASUL passa a integrar a Rede Amazônica de Ensino de Ciências e Matemática (REAMEC) se juntando a outras 27 universidades da Amazônia Legal Brasileira.

Para a assinatura do convênio o coordenador do polo da Universidade Federal do Pará (UFPA – REAMEC), Licurgo Peixoto de Brito se reuniu com diretores de curso e com a gestão superior, para apresentação do programa. “Para se candidatar, o professor tem que atuar nas licenciaturas em Ciências e Matemática, por isso fiquei muito satisfeito quando vi o potencial da UEMASUL para participar da Rede. Já tinha conhecimento da oferta dos cursos, mas aqui tem praticamente o ‘conjunto completo’, que será completo quando iniciarem o curso de Ciências Naturais.”

O programa oferece doutorado para docentes que já atuem nas licenciaturas de Ciências e Matemática, considerando que a melhora dos indicadores da educação básica tem ligação direta com a qualidade da formação dos professores. Para isso, a especialização dos formadores é essencial, que poderão contribuir na formação continuada de profissionais da educação.

A Pós-Graduação é apresentada como o inicio de um efeito cascata: dentre os objetivos, está a formação de 150 doutores em Ciências e Matemática até 2020, o que possibilitará a implantação de pelo menos um Mestrado em Ciências e Matemática em cada um dos nove estados da Amazônia Legal Brasileira até o mesmo ano.

A UEMASUL oferece cinco dos cursos contemplados pelo PPGECEM, que são as licenciaturas em Química, Física, Biologia, Matemática e Pedagogia. A licenciatura em Ciências Naturais é o sexto curso envolvido pelo programa, que será oferecido no campus de Estreito a partir de 2019.

“A alfabetização numérica é tão importante quanto o letramento. Se a alfabetização ensina a ler o mundo pelas palavras, a alfabetização numérica ensina a ler o mundo através dos números. Para isso, precisamos de docentes qualificados para atuarem nas licenciaturas, apresentando metodologias e fundamentos para o ensino de ciências e matemática, desde o início do aprendizado destas disciplinas”, acrescentou Expedito Barroso, vice-reitor da UEMASUL.

Acadêmica da UEMASUL é classificada para o prêmio FAPEMA, na categoria Jovem Cientista

Marisa Cristina Rocha Alves,  acadêmica do curso de Letras Licenciatura em Língua Portuguesa e Literaturas em Língua Portuguesa e bolsista de iniciação científica representará a UEMASUL na 14º edição do Prêmio FAPEMA. Orientada pela professora Kátia Carvalho da Silva Rocha, a estudante ficou entre os três finalistas na categoria Jovem Cientista, na área de Ciências Humanas e Sociais, com o trabalho: “O sertão e sua gente, estudos das personagens do poema e do desenho animado Morte e vida Severina”.

Surpresa e feliz com o resultado, Marisa falou um pouco sobre o projeto finalista, que é sua primeira produção como pesquisadora. “Fazer parte pela primeira vez de um projeto de literatura foi um grande desafio. No entanto foi uma experiência boa, gostei muito de participar, e quero aqui agradecer aos meus professores, à minha orientadora, e à UEMASUL, por me proporcionar essa oportunidade. Esse projeto é uma oportunidade de divulgar a pesquisa dentro da literatura, tornando-a mais visível e mostrando a sua importância. É uma adaptação cinematográfica que transpõe uma obra literária para o cinema em forma de desenho animado. O objetivo é defender a adaptação como uma prática válida e não inferior à literatura, e esse projeto me ajudou a crescer como acadêmica e pesquisadora”.

A orientadora Kátia Carvalho da Silva Rocha falou sobre o sentimento de orgulho em relação à acadêmica. “Estou muito orgulhosa da Marisa, essa classificação é um passo importante para que os bolsistas percebam a importância de ser um pesquisador, e o quanto isso pode somar à vida deles. E para nós, enquanto pesquisador é uma grande satisfação estarmos contribuindo para esse crescimento, fazendo com que essas potencialidades que já existem no aluno possam vir à tona e serem desenvolvidas”, afirmou a professora .

Kátia falou ainda sobre a importância do trabalho desenvolvido. “A proposta desse estudo foi uma leitura, uma adaptação no formato animação da obra homônima do João Cabral de Melo Neto. Essa pesquisa é importante para a UEMASUL porque mostra uma linha, uma possibilidade de estudo que sempre existiu, e que é uma das marcas do curso de Letras, que é o estudo da literatura combinado com outras manifestações artísticas, sendo que estas manifestações ajudam para que o aluno se aproxime das representações dos textos literários”.

O Prêmio FAPEMA é promovido pelo Governo do Estado do Maranhão e a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação – SECTI, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão e tem o objetivo de incentivar a produção científica e tecnológica no Maranhão, por meio do reconhecimento de ações de pesquisadores que tiveram atuação de destaque no estado.

Concorreram estudantes do Ensino Médio, Técnico, estudantes de Graduação, Mestrado e Doutorado de todo o estado. Serão 52 premiados entre pesquisadores e orientadores. Os prêmios são atribuídos por categorias:  Pesquisador Júnior, Jovem Cientista, Dissertação de Mestrado, Tese de Doutorado pesquisador Sênior, Periódico Científico, Jornalismo Científico, Inovação Tecnológica, Desenvolvimento Humano, Pop Vídeo Ciências e Prêmio Homenagem especial FAPEMA. A premiação é considerada a maior do Norte-Nordeste.

A cerimônia de premiação acontecerá dia 05 de dezembro, no Teatro Arthur Azevedo, em São Luís.