UEMASUL realiza reunião sobre Licenciatura Intercultural Indígena

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), recebeu na última semana, os coordenadores de Licenciaturas Interculturais Indígenas da Universidade Federal do Goiás (UFG) e da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), para socializar as experiências do processo de construção, implantação e também do cotidiano da graduação.

No Maranhão vivem cerca de 34 mil indígenas, de 11 etnias, e aproximadamente 16 mil estão matriculados em escolas da rede estadual. Dos 1030 professores nas escolas das aldeias, apenas 482 são indígenas. As licenciaturas interculturais têm o objetivo de oferecer formação para os docentes indígenas, para que o processo de escolarização seja coordenado integralmente por eles, promovendo uma autonomia político-pedagógica, uma forma de cumprir com os direitos e a legislação específica para a educação indígena, valorizando a língua, a cultura e os conhecimentos dos povos.

A UFG oferece, desde 2007, um curso de Licenciatura Intercultural pelo Núcleo Tekinahaky, que recebe povos indígenas de todo o país para a formação de docentes das escolas das aldeias. “A UEMASUL acertou em fazer essa reunião para trocar experiências, discutir, expor os desafios. É importante para a construção do curso, pois tem que ser feita com muita calma, sabedoria. Esse momento vai influenciar todo o projeto do curso no futuro”, declara o professor Arthur Ângelo Bispo, da UFG.

A formação dos professores é essencial para que os indígenas possam ingressar em cursos técnicos e superiores. O professor com o domínio da língua materna facilita o aprendizado das disciplinas específicas, cobradas nos vestibulares. “Imagine como seria difícil para nós aprender biologia, matemática, química ou física em alemão. É assim que acontece com os alunos indígenas, que têm a sua língua materna falada diariamente, e precisam aprender esses assuntos em português”, acrescenta a professora Marivânia Leonor Souza Furtado, coordenadora da Licenciatura Intercultural da UEMA.

“Esse momento de troca de vivências é essencial para podermos desenvolver um programa intercultural no futuro, para contribuirmos com os povos indígenas da Região Tocantina, para uma educação indígena que atenda a necessidade dos alunos das aldeias e eles possam ocupar cada vez mais espaços”, declarou a professora Ilma Maria de Oliveira Silva.

UEMASUL promove II Encontro de Engenharia Civil, em Açailândia

No intuito de suscitar discussões relacionadas às questões do cotidiano, referente ao conhecimento teórico-prático, sob a ótica dos profissionais da Construção Civil e outras áreas atuantes no mercado de trabalho, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, campus Açailândia, promove o II encontro de Engenharia Civil.  Tendo como tema “A Engenharia Civil e suas áreas de atuação”, o evento tem o objetivo de aprofundar as reflexões sobre a Engenharia Civil e as diversas ações no mercado, por meio de palestras, mesas redondas, minicursos e a participação dos acadêmicos e professores, nas exposições orais de trabalhos técnico-científicos.

Durante a programação, os estudantes e professores participam de palestras, voltadas para temáticas: “Aspecto das obras de infraestrutura no Brasil”, “A Engenharia Civil e suas áreas de atuação”, “Licenças Ambientais necessárias à execução de obra civis”, “Acessibilidade e inclusão social”, “Segurança e saúde na construção” e o “Papel do Engenheiro Civil no Saneamento”.  Além dos minicursos, com destaque para o “Curso Básico de maquete eletrônica e Planta humanizada utilizando a ferramenta Google Sketchup, ministrado pelo o professor do IFMA, Luan Henrique Varão Silva.

Para o estudante do segundo período de Engenharia Civil, Anderson dos Santos, a realização deste segundo encontro, representa um grande passo para a consolidação do curso de Engenharia da UEMASUL. “É uma oportunidade, que nós estudantes do curso estamos tendo de adquirir mais conhecimento das diversas áreas de atuação da Engenharia. Hoje, com a criação da UEMASUL o curso de Engenharia Civil vem ganhando muito mais visibilidade na região, isto mostra, que o curso está caminhando no rumo certo, que é o aperfeiçoamento do ensino, pesquisa e extensão, além da preparação para o mercado”, ressalta.

O professor de Engenharia Civil e ministrante de minicurso, Jonathas Nascimento declara que o evento veio com uma novidade, que é apresentar os diversos setores em que a Engenharia atua e o cenário do mercado. “É importante pontuar que, ao participarem do encontro os acadêmicos dos primeiros períodos e os veteranos, começam a se contextualizar no cenário do mercado na área da Engenharia Civil, principalmente em Açailândia que é um polo Industrial e siderúrgico, com empresas voltadas para os setores da Engenharia. Então, a escolha em trabalhar com essa temática, sobre as diversas áreas de atuação da Engenharia veio unir-se com as necessidades dos acadêmicos do curso em Açailândia”, finaliza.

UEMASUL promove I encontro de egressos na Semana de Física e Matemática

O Centro de Ciências Exatas, Naturais e Tecnológicas (CCENT) realiza o I Encontro de egressos de Física e Matemática da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), Campus Imperatriz. Voltado para alunos, pesquisadores e professores, o principal objetivo é divulgar a produção científica dos cursos de Matemática e Física, e promover a comunicação entre os egressos.

O encontro trouxe o tema “Um panorama da Física e Matemática na região Tocantina do Maranhão”. O tema busca uma integração regional das ciências exatas para incentivar a troca de experiências, por meio do intercâmbio científico e acadêmico de professores, pesquisadores e alunos. “Essa prática faz com que os alunos se interessem por outros assuntos, de forma a renovar o conhecimento, deixando os acadêmicos mais ativos e curiosos”, diz o professor palestrante da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Antônio Nilson Laurindo de Sousa.

A reitora da Elizabeth Nunes Fernandes, durante a solenidade de abertura falou sobre a importância do encontro. “A oportunidade de trocar conhecimentos e experiências com palestrantes de outras instituições é um momento ímpar para todos os estudantes, tanto de matemática, quanto de física”, ressaltou.

O acadêmico do segundo período, do curso de Física Licenciatura, Gabriel, Fernandes Ferrari Melo falou que a evasão nos cursos ocorre muitas vezes, pela falta de incentivo e conhecimento da extensão da área de atuação destes profissionais.

Para o estudante do curso de Matemática Licenciatura, Matheus Araújo Botelho a semana de Física e Matemática, é importante para que a comunidade “perceba que a matemática não é algo chato, como muitos consideram, a exemplo da palestra de Criptografia, mas é algo que está presente no dia a dia de todos, mas ninguém entendia como funcionava”.

O diretor do curso de Matemática da UEMASUL, Juscimar da Silva Araújo, reitera que, além de socializar matemáticos e físicos, o objetivo do encontro é mostrar aos alunos quais são as possibilidades de pesquisa existentes em ambas as áreas, e assim, estimulá-los a pensar a vida acadêmica como algo contínuo por meio da graduação, mestrado e doutorado.

UEMASUL realiza concursos públicos para Imperatriz e Açailândia

Dando continuidade ao processo de consolidação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, aconteceu durante toda esta  semana, concursos públicos para docentes, com ofertas de vagas para os campi de Açailândia e Imperatriz. Em 2017 o Governo do Estado autorizou a abertura de 30 vagas de concurso que se somaram às outras nove, herdadas durante a transição de UEMA para UEMASUL. Lançados em etapas, os concursos já contemplaram todos os campi e centros, e agora a expectativa é de fechar o primeiro ciclo ainda este ano.

Foram realizados simultaneamente sete concursos, onde seis vagas são para o Centro de Ciências Humanas, Sociais, Tecnológicas e Letras – Campus Açailândia e uma vaga é destinada ao Centro de Ciências Exatas, Exatas, Naturais e Tecnológicas- CCENT – Campus Imperatriz. “Dividimos os concursos em blocos, para otimizar o trabalho e os esforços da Comissão de Concursos”, afirmou a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes.

Inédita nas instituições públicas da região, a área de Educação da Matemática é um campo que busca trabalhar metodologias, estratégias e técnicas que facilitem o processo de ensino e aprendizagem dos estudantes em relação à Matemática no processo de letramento dos alunos.

Para o Vice-Reitor, Expedito Barroso a oferta desta vaga representa um avanço e uma melhoria na qualificação dos estudantes e futuros profissionais das áreas de exatas, principalmente do curso de Matemática da UEMASUL.  “A oferta desta vaga é bastante significativa para instituição, principalmente por esse profissional ter um conhecimento que irá contribuir para a desmistificação da matemática, como uma ciência de difícil compreensão e aprendizagem. Um docente voltado para esta área, formando futuros professores que irão atuar na formação básica, com certeza teremos uma melhoria na educação da região”, afirmou.

AÇAILÂNDIA

Para o Centro de Ciências Humanas, Sociais, Letras e Tecnológicas, no campus Açailândia, são seis vagas destinadas para as áreas de Administração de Empresas, Matemática Aplicada, Engenharia Civil, especificamente para Infraestrutura de Transporte, Geotecnia e Estrutura, e Engenharia Elétrica, para as disciplinas de Instalação Elétrica, Prediais e Industriais. Em relação a Imperatriz, foram ofertadas nove vagas, sendo a última destinada ao CCENT, específica ao campo do Ensino da Matemática.

Outros quatro concursos já foram realizados para o campus, pondo fim a um ciclo de abandono. Com mais de 15 anos de existência, estes serão os primeiros professores efetivos, que poderão impulsionar o ensino, a pesquisa e a extensão. “Sabemos da grande contribuição ao longo desses anos por parte de todos os professores substitutos que passaram pela instituição, mas, sabemos que para fazer uma universidade de verdade, é preciso professores concursados, com os meios e possibilidades de desenvolver suas atividades acadêmicas”, avaliou a reitora Elizabeth Nunes Fernandes.

OUTRAS VAGAS

Até o final do ano, outro concurso deve ser realizado na UEMASUL, para professor de LIBRAS, fechando assim o ciclo de 39 concursos. Em decorrência da vacância em algumas destas vagas, outros editais devem ser lançados, reabrindo as inscrições com novos pré-requisitos.

Inscrições

A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PROPGI) e a Pró-Reitoria de Gestão e Sustentabilidade Acadêmica (PROGESA) da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), por intermédio da Coordenadoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (CPI) e da Coordenadoria de Sustentabilidade e Integração Social (CSIS), divulgam a Programação da I Semana Acadêmica de Pesquisa, Inovação e Extensão da UEMASUL – SAPIENS. A partir deste ano o Seminário de Iniciação Científica e a Jornada de Extensão Universitária serão realizados de forma integrada.

A programação da Semana Acadêmica conta com minicursos, oficinas, mesa redonda, palestra, premiação e um momento cultural, além das apresentações orais dos alunos atrelados ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), ao Programa Institucional de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI), ao Programa Mais IDH e ao Programa Institucional de Bolsas de Extensão (PIBEXT).

Programação completa aqui.

Incrições:

“Com a UEMASUL, tivemos mais oportunidades”, diz primeiro acadêmico aprovado em estágio internacional.

Jonas Juliermerson Silva Otaviano, 25 anos, estudante da UEMASUL, natural de Itinga do Maranhão, cidade a 125 km de Imperatriz, será um “Cidadão do Mundo” em 2019. Jonas é o primeiro discente da UEMASUL a participar do programa do governo do estado que oferece bolsas de intercâmbio internacional para jovens, nas linhas de Intercâmbio Linguístico, Estágio Internacional e Ensino Médio no Exterior.

Jonas foi selecionado para o Estágio Internacional com um projeto sobre fitorremediação com espécies do cerrado, um processo que utiliza plantas para descontaminação de áreas poluídas por dejetos de minério. A proposta foi   contemplada pelo edital de intercâmbio da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA).

O futuro engenheiro florestal ingressou na universidade em 2013, sempre interessado em pesquisar, criar e participar um dia, de um intercâmbio. Em entrevista, Jonas falou como tudo começou, sobre o projeto de fitorremediação e da sua grande expectativa em ser recebido na Universidade de Aveiro, em Portugal.

– Como foi a sua trajetória na pesquisa dentro da UEMASUL?

Acredito que começou quando me apresentaram ao orientador, o professor Jorge Diniz, que já tinha um grupo de pesquisa, e uma amiga minha conversou com ele sobre o meu interesse. Ele apostou em mim, mesmo sendo calouro, sem ter nenhuma visão de quão ampla era a universidade, e a pesquisa. Entrei no grupo no início de novembro (de 2013) e no final do mês, já era bolsista voluntário. Logo em seguida submetemos outro projeto, e nesse já fui bolsista remunerado, e, a partir daí fui bolsista do BATI, do PIBIC/UEMA e do PIBEXT, esse último com um projeto de divulgação da educação ambiental, com alunos de escolas municipais.

– Nos conte um pouco sobre o seu projeto aprovado no edital de Estágio Internacional da FAPEMA.

O projeto sobre a fitorremediação é um processo que utiliza plantas para descontaminação ambiental e fruto de um trabalho coletivo, do professor, dos colegas que fazem parte do grupo de pesquisa e ajudaram, da Carol, que ficou cuidando das mudas enquanto eu fazia estágio na EMBRAPA. O que eu vou levar para a universidade de Aveiro é um projeto sobre a fitorremediação utilizando espécies do cerrado: uma nativa e outra exótica, mas que não é só meu, e sim de todo o grupo.

– Como foi a escolha da universidade do intercâmbio?

A cidade de Aveiro foi a melhor opção pra mim, não só pela língua, mas, por toda a pesquisa em fitorremediação que a universidade desenvolve, além de contar com o professor Luís Novo, que é referência no tema, com pesquisas inclusive no Brasil, e será meu supervisor no intercâmbio. A universidade de Aveiro têm mais de 20 anos de experiência na área, e muitos projetos financiados por grandes organizações, como a União Europeia, a Organização das Nações Unidas, e acordos de cooperação com diversos países. Acredito que a experiência será excelente.

– Quais dicas você dá para quem quer tentar esse intercâmbio?

O primeiro passo é ler bem o edital e tentar escrever o projeto o mais ajustado possível com o que está sendo exigido. No meu caso, tive muita ajuda do meu orientador em todo o processo, menos no momento de escolher a universidade, isso ele deixou nas minhas mãos. Quando escolhi, entrei em contato com o professor que eu gostaria de ter como supervisor, já que precisa de uma carta de anuência da universidade estrangeira e do professor, e ele me enviou todos os documentos necessários. Eu acreditava muito no potencial do projeto, que estava bem escrito e tinha grandes chances de ser aprovado.

– Você acredita que a criação da UEMASUL foi um fator decisivo para ter acesso a essa oportunidade?

Depois da transição para a UEMASUL, percebemos um cuidado maior do Governo do Estado com a gente, em divulgar estas oportunidades.  São editais variados que oferecem bolsas e auxílios, nacionais e internacionais. Às vezes o aluno tem potencial, mas perde a chance por não ficar sabendo. Também tivemos um aumento na oferta das bolsas de pesquisa e extensão, que ajuda a manter o aluno envolvido com os projetos, participando de congressos, que é outra coisa importante para um universitário. Por enquanto eu sou o primeiro a ir para um estágio internacional, mas, tenho certeza que não serei o último.

UEMASUL tem participação marcante na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Maranhão

Quando foi criada, a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão recebeu a missão de promover o desenvolvimento regional por meio da democratização e popularização da Ciência e Tecnologia. Nesse contexto, a participação da instituição na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Maranhão se mostra estratégica para a sua projeção institucional e, principalmente, para cumprir o seu papel.

Esta é a segunda participação da UEMASUL na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. A primeira foi em 2017, na cidade de Timon. “Este ano trouxemos uma proposta diferente para nosso estande. Nosso objetivo foi promover atividades voltadas para o público infantil e adolescente, despertando neles o interesse pela ciência”, afirmou a pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação da UEMASUL, Alinne da Silva.

O estande foi um dos mais movimentados do evento, atraindo a curiosidade de quem visitava a feira. “Eu sou professor da rede pública e acho muito importante que eventos como esse aconteçam, uma vez que eles incentivam os jovens a se comprometer mais com os estudos”, afirmou Felix Santos, que visitava o estande da UEMASUL acompanhado de duas filhas. “Eu não conhecia essa nova universidade e por isso acho muito importante ela estar aqui e mostrar para sociedade a sua importância”, finalizou o professor.

Além do estande institucional, a UEMASUL mostrou a sua força e comprometimento com o evento levando uma delegação de mais de 190 participantes, entre alunos e professores e também com um número recorde de trabalhos apresentados. De acordo com dados da organização do evento, foram 127 trabalhos, entres pôsteres, oficinas, palestras, conferências e workshop. Veterana no evento, a estudante de história Iasmin Andrade participa de sua terceira Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Maranhão, a segunda enquanto discente da UEMASUL. “O estande da UEMASUL é convidativo. Há uma preocupação em mostrar como é a universidade, como ela funciona”, afirmou Iasmin Andrade, que foi premiada com o 3° melhor pôster na área de Ciências Humanas.

A UEMASUL teve outra aluna premiada na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.  Érica Melo, do campus Açailândia, também foi premiada com o 3° melhor pôster na área Engenharias e Ciências Sociais Aplicadas. “Nossa avaliação é extremamente positiva. Uma universidade tão jovem, ainda assim engajada na promoção, desenvolvimento, democratização e popularização da Ciência e Tecnologia em nosso estado e região”, afirmou a reitora da UEMASUL, Elizabeth Nunes Fernandes.

PAES 2019

Comunicamos aos professores e acadêmicos (as) que, em decorrência da aplicação das provas do PAES, nos dias 20 e 21 de outubro, não será permitido o acesso aos Campi de Imperatriz e Açailândia.